Praia de Xangri-Lá

Saiba tudo o que REALMENTE acontece em Xangri-Lá

Cão russo especialista na caça de ursos

 

 

https://i.pinimg.com/originals/a0/60/3c/a0603cf1720fd2ecfd01e324986f06a6.jpg

Estado e entidades ruralistas responsabilizados por acidente em estrada bloqueada – TJRS

Publicado em 19 de Agosto de 2019 às 11h47

Entidades classistas ligadas à agricultura e o Estado do RS foram condenadas a indenizar solidariamente empresa de transporte (JM Lanzanova) pelos prejuízos decorrentes de acidente em trecho bloqueado de estrada, durante manifestação. Na ocasião, caminhão da transportadora chocou-se com outros dois veículos parados e atropelou um homem, que morreu.

São rés as entidades: Federação dos Trabalhadores da Agricultura no RS, Sindicato Rural de Ijuí, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ijuí, Federação da Agricultura do RS (FARSUL), Sindicato Rural de Ajuricaba, Sindicato Rural de Joia, Sindicato Rural de Catuípe, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ajuricaba, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Joia, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Catuípe, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cruz Alta, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Augusto Pestana, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Panambi e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pejuçara.

Para a 11ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça gaúcho, ao atender a apelo da empresa, as entidades não tomaram as precauções necessárias, dando causa eficiente ao acidente. À época, decisão judicial impedia o bloqueio.

O movimento dos agricultores, na verdade, promoveu um verdadeiro caos, numa noite chuvosa, próximo a uma curva, disse o Desembargador Guinther Spode, ao bloquear a pista de rolamento, sinalizando o local com algumas pequenas lanternas.

O julgador acrescentou que as provas, diferente do que argumentaram as apeladas, mostram que o motorista não concorreu para o acidente ¿ ocorrido na RS-342, próximo ao km 120. O caminhão estava carregado com 27 toneladas de areia. Na seara criminal, o motorista foi inocentado pela morte.

Ilegitimidade

O Estado alegou ilegitimidade para constar no polo passivo do processo, pleito que o relator não acolheu. O Desembargador Spode entende que, embora a ação devesse ter sido movida contra o DAER, responsável pelas estradas gaúchas, a responsabilidade estatal não pode ser afastada.

Embora as autarquias sejam órgãos prestadores de serviços públicos descentralizados, autônomos e personalizados, com patrimônio e receitas próprias, não integradas na estrutura orgânica do Executivo, nem hierarquizadas a qualquer chefia, continuam vinculados à Administração Direta, explicou.

Na decisão, considerou-se que o bloqueio da rodovia ocorreu de forma precária, com insuficiente sinalização, ficando caracterizada a omissão do poder público.

Danos materiais

O ressarcimento deve cobrir os prejuízos da empresa com o conserto do veículo Scania, orçado em R$ 123.165,50, gastos em oficina (ajustes mecânicos, compras lona, pneus, rodas etc.) e lucros cessantes, cujo valor deve ser apurado na fase de liquidação da sentença.

Processo nº 70072947468

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de Rio Grande do Sul

TV Cultura/SP desperdiça tempo com o tal Alexandre Frota

 

 

Tal sujeito já faz um bom tempo que está no programa Roda Viva e confesso que em nada contribuiu à informação dos espectadores.

Tal cidadão sempre foi apenas um zero à esquerda e assim continua. Povo burro elege gente como esse deputado e o BOI SONORO.

A lista completa dos donos de jatinhos subsidiados pelo BNDES; Huck, Claudia Leitte, Victor & Leo na lista

Como O Antagonista revelou mais cedo, a lista de beneficiários de empréstimos do BNDES para a compra de jatinhos da Embraer engloba banqueiros, empresários, advogados e artistas. Na lista de 134 agraciados, há famosos como o apresentador Luciano Huck, a cantora Claudia Leitte e a dupla sertaneja Victor & Leo.

Entre 2009 e 2014, o banco liberou R$ 1,9 bilhão para 134 operações de crédito a juros subsidiados, que variaram de 2,5% a 8,7% ao ano.

A área técnica do BNDES calcula em R$ 700 milhões o prejuízo com o programa. Além dos nomes que já divulgamos, destaque para Rubens Menin, da MRV Engenharia, e Flávio Rocha, da Riachuelo.

Menin, que se prepara para lançar a CNN Brasil, é conhecido apoiador do PR. Rocha, por outro lado, defendeu a candidatura de Jair Bolsonaro.

Também está na relação do BNDES o empresário Mario Celso Lopes, ex-sócio dos irmãos Joesley e Wesley Batista, que também se aproveitaram da política adotada pelos governos Lula e Dilma.

MCL, como é conhecido, foi alvo da Operação Greenfield, que investiga o financiamento do BNDES à Eldorado Celulose. Entre 2010 e 2012, ele adquiriu duas aeronaves da Embraer a juros subsidiados.

Outro beneficiário foi o empresário Artur Figueiredo, diretor de fundos da corretora Planner, também investigada na Greenfield.

Aproveitaram o programa do BNDES o advogado Pedro H. Xavier, que defendeu o ex-diretor da Galvão Engenharia Erton Medeiros, e o doleiro Carlos Habib Chater, parceiro de Alberto Youssef e dono do Posto da Torre, marco zero da Lava Jato.

O BNDES financiou ainda os jatinhos de Wilson Quintella, da Estre Ambiental, outro preso na Lava Jato, e de Valdir Piran, da Piran Participações, detido na Operação Ararath, que revelou esquema de mensalinho na Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

Na longa lista de empréstimos para a compra de aeronaves consta também a Confederal Vigilância, do ex-senador Eunício Oliveira.

Confira a relação completa: (parte 1parte 2 e parte 3).

 

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Justiça condena União a indenizar Eduardo Jorge Caldas Pereira, ministro de Fernando Henrique Cardoso, por ataques ilegais de procuradores federais

Luiz_Francisco_Fernande_de_SouzaO Tribunal Regional Federal (TRF1) deu ganho de causa para o ex-secretário-geral da Presidência, Eduardo Jorge Caldas Pereira, em uma ação movida contra os procuradores federais regionais Guilherme Schelb e Luiz Francisco de Souza. Na ação, a defesa de Eduardo, que atuou no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, alegou que ele foi alvo de dano por ser acusado “de desvio de verbas do TRT paulista, de exercer indevida ingerência nos fundos de pensão, de tráfico de influência, de controlar um hipotético ‘caixa 2’ da campanha eleitoral de Fernando Henrique Cardoso para a Presidência da República”, entre “outros absurdos”. Os defensores alegaram que o cliente sofreu diversos prejuízos em sua vida pessoal e profissional, por ter sido alvo de perseguição por parte dos integrantes do Ministério Público e ter sido acusado de crimes que não cometeu.

Guilherme_Schelb

A União também é ré no processo e foi condenada por danos morais. Eduardo Jorge foi um dos principais nomes do governo Fernando Henrique. Mas teve sua atuação prejudicada por acusações de corrupção que não se comprovaram posteriormente. Na época, a imprensa publicou diversas reportagens sobre o caso, e alguns jornais foram condenados pela Justiça a indenizarem as pessoas citadas. O ex-secretário lamentou a demora por uma decisão: “17 anos para se ter uma decisão na primeira instância. Eu sofri perseguição política que parou a minha vida profissional e minha carreira política. Na época, informações eram repassadas ao jornais. As reportagens eram usadas contra mim nos processos, algo parecido com o que temos hoje na Lava-Jato. A diferença é que eu sou inocente”. A ação contra os procuradores e a União completa 17 anos nesta terça-feira (20/8).

Eduardo_Jorge_CaldasEduardo Jorge ingressou com um processo contra o procurador regional Luiz Francisco de Souza no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). Em 2017, o integrante do Ministério Público chegou a ser afastado de suas funções temporariamente por práticas incompatíveis com o cargo. Na mesma sessão, o CNMP também condenou o procurador regional da República Guilherme Schelb à pena de censura temporária. A juíza da 6ª Vara Federal Civil de Brasília Ivani Silva da Luz condenou a União a indenizar em R$ 100 mil por danos morais Eduardo Jorge Caldas Pereira, secretário-geral da Presidência no governo FHC. Na decisão, a juíza Ivani escreveu não haver dúvida de que “os atos indevidos praticados pelos servidores da União causaram dano moral ao autor”.

Copiado de:  https://videversus.com.br/justica-condena-uniao-a-indenizar-eduardo-jorge-caldas-pereira-ministro-de-fernando-henrique-cardoso-por-ataques-ilegais-de-procuradores-federais/

Grande mala sem alça no programa do Paulo Sergio

 

 

Presente no programa do Paulo Sergio na TV Pampa um vereadorzinho que ocupou uma Secretaria de Estado no desastre que foi o DESGOVERNO do tal ‘Sartório’ agora agride uma AUTORIDADE POLICIAL que não nomina e quase senta no colo de um AGENTE do MP presente ao programa.

Sujeitinho despreparado e que no dia da posse do ‘Sartório’ recebeu o mesmo em sua mansão em Xangri-Lá para comer uma feijoada.

O gringo torrou naquele dia TREZE MIL REAIS na locação de um aeroplano de asas rotativas para vir ao litoral. Tivemos tamanha sorte que o Sartório ao final do dia deslocou-se de automóvel a Torres onde por certo descartou tal feijoada.

O povo elege uma anta como essa para a Câmara Municipal de Porto Alegre e assim o eleitorado tem mais que ficar calado, criando vergonha na próxima eleição e mandando essa inutilidade para a fila do SINE.

Arrecadação das Igrejas dobra em oito anos e chega a R$ 32 bilhões

Esse país já está nas mãos dessa corja de vigaristas faz um bom tempo. O chefe deles sempre foi o CUnha  que hoje está na cadeia por ‘jisuis’. Povo idiota tem o que merece. Isto interessa e muito àquele certo Estado localizado no Oriente que assim vai destruindo o IMPÉRIO DO VATICANO, obra de Constantino depois que os turcos meteram o pé na bunda dele.

O Editor

 

 

 

As igrejas fazem o ‘milagre’ de
dobrar a sua arrecadação mesmo
com a existência de mais de 10
milhões de desempregados

A economia do país vai mal e há mais de 10 milhões de desempregados, mas as finanças das igrejas vão muito bem.

Em oito anos, a arrecadação das igrejas quase que dobrou.

Em 2006, em dízimo, doações e outras formas de renda, como aplicações financeiras, as igrejas obtiveram R$ 13,3 bilhões.

Em 2013, o montante subiu para R$ 24,2 bilhões e esse valor corrigido pela inflação chega em 2019 a quase R$ 32 bilhões.

As informações são da Folha de S.Paulo, que obteve os dados da Receita Federal por intermédio da Lei de Acesso à Informação.

De acordo com o jornal, o valor total da arrecadação equivale à do benefício assistencial pago a idoso carente e pessoas com deficiência.

Por dia, as igrejas obtêm em média R$ 88 milhões.

O aumento substancial da arrecadação se deve, em parte, à criação de novas igrejas.

Em 2006, o Brasil tinham 10 mil, aumentando para 25 mil em 2018, sem contar os templos que se instalam irregularmente, sem registros oficiais que impedem que sejam rastreadas.

Em abril de 2019, Marcos Cintra, secretário da Receita, falou sobre a proposta de os fiéis pagaram impostos sobre dízimo.

A reação das lideranças evangélicas foi tão contundente, que, na época, houve a especulação de que Marcos Cintra seria demitido sumariamente pelo presidente Bolsonaro, que é um católico que se comporta como um evangélico fundamentalista.

Apesar da continuidade da crise econômica e das dificuldades financeiras de algumas igrejas, como a Mundial e da Vitória em Cristo, as perspectivas são as melhores possíveis para o setor.

Bolsonaro tem prometido simplificar ainda mais o registro de novas igrejas e a burocracia de prestação de contas, consolidando os benefícios existentes e concedendo outros, como perdão para multas em atividades com desvio de finalidade, como as que visam o lucros.

Com informação da Folha de S.Paulo e de outras fontes.

Exclusivo: Os donos dos dez jatinhos mais caros financiados pelo BNDES

 

 

 

Necessário esclarecer que os ditos grandes produtores agrícolas e que acumulam fortunas a cada ano igualmente são bancados pelo BNDES com juros subsidiados por todos os que pagam tributos, ou seja, NÓS OS BANCAMOS e tal não começou agora, pois muito antes do Presidente LULA ascender ao Poder.

O editor

 

 

 

Por Claudio Dantas


O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, está cumprindo a promessa de abrir a caixa-preta das gestões petistas. O primeiro ato é a divulgação, ainda hoje, da lista de 134 empresários que compraram jatinhos a juros subsidiados pelo contribuinte.

O Antagonista obteve em primeira mão a relação de beneficiários, entre eles artistas, banqueiros e empresários – vários deles enrolados na Lava Jato ou em outras investigações.

Ao todo, o BNDES emprestou via bancos privados um total superior a R$ 1,9 bilhão para a compra de jatinhos da Embraer. A área técnica do banco calculou em R$ 700 milhões – em valores corrigidos – os subsídios para essas operações.

Entre os proprietários dos dez jatinhos mais caros financiados pelo banco público, estão o governador de São Paulo, João Doria (R$ 44 milhões), e os irmãos Joesley e Wesley Batista da JBS (R$ 39,8 milhões).

No topo da lista stá o empresário Michael Klein (Casas Bahia), que pagou R$ 77,8 milhões por um jato executivo da Embraer – o modelo não é informado. O financiamento foi feito em 2013 por meio do banco ABC para a CB Air (hoje Icon Aviation).

A família Moreira Sales (Itaú-Unibanco) também usufruiu da linha de financiamento do BNDES, pagando apenas 4,5% ao ano de juros sobre empréstimo de R$ 75,5 milhões para adquirir uma aeronave em nome da Brasil Warrant Administradora de Bens.

Confira a relação dos proprietários das dez aeronaves mais caras bancadas pelo BNDES:

Doria Administração de Bens Ltda – R$ 44,03 milhões (2010)

JBS S/A – R$ 39,78 milhões (2009)

Neo Táxi Aéreo – R$ 44,97 milhões (2011)

Construtora Estrutural – R$ 64,01 milhões (2012)

Brasil Warrant Adm de Bens – R$ 75,46 milhões (2013)

Lojas Riachuelo – R$ 55,52 milhões (2013)

Sumatera Participações – R$ 65,96 milhões (2013)

Industrial e Comercial Brasileira – R$ 59,11 milhões (2013)

CB Air Taxi Aéreo – R$ 77,78 milhões (2013)

Eurofarma Laboratórios – R$ 43,99 milhões (2014)

Aliança Toffoli-Bolsonaro: Lava Jato deve ser maior prejudicada. LEIA AQUI
Copiado de:  os-dos-dez-jatinhos-mais-caros-financiados-pelo-bndes/?utm_source=oapush&utm_medium=wppush&utm_campaign=post

Brasil decide extraditar chileno Mauricio Norambuena, envolvido no sequestro de Washington Olivetto

Encaminhar Enviar por e-mail

Em comunicado, família de Norambuena acusa o Brasil de querer extraditá-lo “ilegalmente”; ‘comandante Ramiro’, como é conhecido, é figura histórica da esquerda chilena

Redação Opera MundiSão Paulo (Brasil)

O Ministério da Justiça decidiu extraditar Mauricio Norambuena, líder histórico da esquerda chilena e um dos participantes do sequestro do publicitário Washington Olivetto, em 2001. Segundo a Folha de S.Paulo, Norambuena foi transferido de maneira sigilosa para a carceragem da Polícia Federal em São Paulo, onde ficam presos estrangeiros em processo de extradição.

A informação da extradição foi confirmada pelo ministro da Justiça e Direitos Humanos do Chile, Hernan Larraín. “Viemos informar à Corte Suprema e ao ministro instrutor da causa que o Brasil vai fazer a entrega de Mauricio Hernández Norambuena, em conformidade com as normas vigentes”, disse.

A extradição de Norambuena, que cumpre pena de 30 anos de prisão, já havia sido aprovada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em 2004. No entanto, duas condenações à prisão perpétua, ainda em disputa na Justiça do Chile, impediam que a ida de Norambuena fosse cumprida, dado que o Brasil não extradita estrangeiros que estejam condenados à morte ou à prisão perpétua em outros países.

Mas, segundo a Folha, o presidente Sebastián Piñera teria aceitado as condições impostas pelo Brasil, abrindo a possibilidade para que Norambuena seja enviado ao Chile.

Leia também:
Preso desde 2002 pelo sequestro de Olivetto, Norambuena denuncia à CIDH regime ‘inumano, cruel e degradante’
O que aconteceu com os outros sequestradores estrangeiros de Washington Olivetto?
Relembre como foi o sequestro do publicitário Washington Olivetto

Em comunicado divulgado neste domingo (18/08), a família de Norambuena acusa o Brasil de querer extraditá-lo “ilegalmente”. “Com profunda preocupação, queremos denunciar que na última sexta, 16 de agosto, nosso irmão Mauricio [Hernández Norambuena], que se encontra detido desde 2002 no Brasil, foi retirado em uma operação silenciosa da Penitenciária de Avaré para as dependências da Polícia Federal em São Paulo. Nem a defesa, nem nenhum membro de nossa família foram notificados, a pesar de estar confirmada a visita de nossa irmã Laura para o sábado 17 de agosto. Ela somente se inteirou do traslado por familiares de outros detidos, e não de forma oficial”, afirmam os parentes.

“Caso a extradição de Mauricio se efetue, o Estado Brasileiro – através do Ministério da Justiça e da Polícia Federal – estarão cometendo uma ilegalidade, violando flagrantemente não só a Constituição Federal, mas também uma decisão da Corte Suprema do Brasil (STF), a Lei de Migração e os Acordos de Extradição do Mercosul, firmados pelo Chile e pelo Brasil, pelo qual nosso país [Chile] se faz cúmplice desta arbitrária decisão do governo de [Jair] Bolsonaro”, conclui o texto.

A defesa de Norambuena entrou com um pedido no STF para tentar reverter a extradição.

Norambuena será extraditado para o Chile (Reprodução/YouTube/AhoraTV)

Quem é Norambuena?

Norambuena é um líder histórico da esquerda chilena e fez parte de um dos grupos que pegou em armas para lutar contra a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990). Membro da Frente Patriótica Manuel Rodríguez (FPMR), o ‘comandante Ramiro’, como é conhecido, já foi preso pela acusação de matar um aliado do ex-ditador – para depois fugir da cadeia de maneira espetacular.

O chileno era uma das figuras centrais da resistência à ditadura. Em 1983, o até então professor de educação física e militante do Partido Comunista do Chile ingressou na Frente Patriótica Manuel Rodríguez (FPMR), um braço armado da agremiação. Posteriormente, a frente passou a agir de maneira independente do partido.

Três anos depois, participou do atentado de Cajón de Maipo, que, em 1986, tentou atingir Pinochet, sem sucesso. Acabou preso, no entanto, por outro motivo: o assassinato, em 1991, do então senador Jaime Guzmán, colaborador muito próximo do então já ex-ditador. O chileno foi considerado autor intelectual do ato.

Foi condenado, em 1993, a dupla prisão perpétua – uma pela morte, outra, por infrações à lei de armas, associação ilícita, falsificação de documentos públicos, terrorismo e uso de identidade falsa.

Em 1996, fugiu de maneira espetacular do Presídio de Segurança Máxima de Santiago. Um helicóptero, desviado de uma rota turística por membros da FPMR e integrantes do IRA (Exército Republicano Irlandês), entrou na cadeia e retirou Norambuena de lá, junto com outros frentistas.

O paradeiro posterior do chileno ainda é objeto de muitas especulações, mas informações apontam que ele passou por Cuba e Colômbia.

Sequestro

Em 2001, Norambuena estava no Brasil e participou do sequestro de Washington Olivetto, um do publicitários mais famosos do país. Após mantê-lo em cativeiro por 53 dias, a operação foi desbaratada pela polícia e o chileno foi preso em um sítio em Serra Negra (SP). Apesar do componente político da ação, a Justiça brasileira analisou o caso como um sequestro comum.

O planejamento do sequestro levou quase um ano e permitiu que os autores conhecessem a rotina de Olivetto. No dia 11 de dezembro de 2001, os sequestradores criaram uma falsa blitz policial na saída da agência do publicitário. O carro dirigido pelo motorista de Olivetto foi parado. O publicitário foi levado para um cativeiro no bairro do Brooklin, zona sul de São Paulo. O resgate serviria supostamente para financiar as atividades de uma fração do MIR (Movimento Esquerda Revolucionária) chileno. A libertação aconteceu mais de 50 dias depois, sem que se conseguisse o dinheiro.

Norambuena tem direito, desde janeiro de 2011, a progredir ao regime semiaberto e, desde 2014, ao aberto. Mesmo assim, a Justiça tem negado essa progressão. Em 2016, o juiz federal Walter Nunes da Silva Júnior não autorizou a mudança na pena. A justificativa é que “o preso poderia fugir” para um país sem acordo de extradição com o Brasil, por exemplo.

Copiado de:  https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/60037/brasil-decide-extraditar-chileno-mauricio-norambuena-envolvido-no-sequestro-de-washington-olivetto

Maranhão Verde, artigo de Flávio Dino no Jornal Pequeno

Share to WhatsAppShare to LinkedIn

Marcado pela transição entre os biomas do Cerrado e da Amazônia, nosso território tem beleza única. A abundância de vales e morros, matas e rios, é entrecortada por cenários especiais como os Lençóis e a Chapada das Mesas. Além de atrair turistas do mundo inteiro, essas belezas devem ser usufruídas por todos os maranhenses.

Por isso, o Governo do Estado fez mais parques ambientais do que qualquer gestão anterior, melhorando o usufruto da nossa natureza. Criamos uma rede inédita em diversas regiões do Estado, entregando ano passado os parques de Codó, Bacabeira e Balsas. As cidades ganharam novos espaços com quadras, brinquedos para as crianças, academia ao ar livre, pista de corrida e caminhada, ciclovia, pontos de descanso e contemplação. Também construímos a Beira Rio que criou um espaço de convívio social e um novo cartão postal para Imperatriz, além de grandes praças em São Luís, Parnarama, Matões, Nova Iorque, Brejo, Colinas, para citar alguns exemplos.

Em São Luís, o Parque do Itapiracó criou o maior espaço público de convivência, lazer e proteção ambiental do estado, atraindo diariamente centenas de pessoas. Com 322 hectares, a APA Itapiracó tem praças, campos de futebol, quadra poliesportiva coberta, parquinhos infantis, circuito de skate, áreas para futebol de areia e futevôlei.

Agora, será entregue em setembro a primeira etapa do Parque do Rangedor, com cerca de 3,5 km de pista de caminhada e ciclovia, trilhas naturais, playground, academia ao ar livre, quadras poliesportivas e espaços de convivência. Uma gigantesca área verde, no coração de São Luís, está assim cuidada e preservada, e poderá ser visitada e usufruída por todos. Com os equipamentos que instalamos na área, estamos dando vida ao Parque, que é a melhor forma de preservá-lo, envolvendo a população.

É assim, trabalhando por todas as regiões do Maranhão, que vamos construindo um estado para todos. E conjugamos preservação ambiental com desenvolvimento e qualidade de vida.

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Page 1 of 4740

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén