Vereadores de Embu decidem doar R$ 100.000 à Marcha para Jesus

Noticias No Comments »

SEXTA-FEIRA, 22 DE MAIO DE 2015

Dinheiro de contribuintes de
todas as religiões e de ateus vai jesus-money
financiar evento evangélico

A maioria dos vereadores de Embu das Artes (SP) incluiu no Orçamento da cidade R$ 100.000 para a realização em 2016 da Marcha para Jesus. A proposta foi apresentada pelos vereadores Ney Santos (PSC), Gilson de Oliveira (PT) e Jefferson Sequeira (PR), todos evangélicos.

Movida pelo Ministério Público, a Justiça tem anulado decisões como essa em outras cidades, porque prefeitura não pode destinar recursos a nenhuma atividade religiosa, de acordo com a laicidade do Estado brasileiro.

Em relação a Embu, o Ministério Público ainda não se manifestou.

A cidade tem 240 mil habitantes. fica a 23 km de São Paulo e o seu prefeito é Francisco Nascimento de Brito (PT). Ela tem graves problemas a administração de recursos dos contribuintes.
O dinheiro que vai ser doado aos pastores organizadores da marcha vai fazer falta, por exemplo, ao pronto socorro.

Ao final de 2014, houve uma manifestação contra o estado precário do atendimento. Faltavam na unidade cadeiras e macas para os pacientes e ventiladores, além de higiene. O lixo estava acumulado e havia um cachorro que parecia morar no local.

Na mesma sessão que liberou o dinheiro aos evangélicos, a Câmara aprovou moção de aplauso, de autoria do vereador Pedro Valdir, ao apóstolo Valdemiro Santiago, pelos 17 anos de existência da Igreja Mundial do Poder de Deus.

Já se tornou rotineiro a celebração de cultos no plenário da Câmara.

Copiado de: http://www.paulopes.com.br/

FARID FURA FILA… O MUSTELA PUTORIUS FURO DE ISARA MARQUES NA TVE

Noticias No Comments »

Leudo Costa 21 de maio de 2015 Imagem Política

Mesmo classificado no lugar 197 do concurso da TVE para a função de Jornalista Diplomado Repórter, Farid Germano Filho é MÁGICO! Conseguiu um emprego na Televisão Estatal do Rio Grande… Sua Patroa.. Isara Marques.. a pisa fio!

Isso é uma vergonha..

Não ficam nem vermelhos… ou melhor.. Farid não pode ser vermelho pois é do PP, da Direita Cachoeirense… Talvez colorado… o editor não sabe para quem ele torce…

mustela
mustela

…. O furão é um mamífero carnívoro da família dos Mustelídeos. Existem diversas espécies de mustelídeos, sendo a mais conhecida o furão-doméstico (Mustela putorius furo), utilizado como animal de estimação em vários países do mundo. O termo é geralmente utilizado como referência ao furão-doméstico, descendente do tourão ou eventualmente do tourão-das-estepes, mas também há duas espécies de mustelídeos americanos que ocorrem do México à Argentina, conhecidas como furão-grande (Galictis vittata) e furão-pequeno (Galictis cuja).

Ao contrário do que algumas crenças populares indicam, os furões não são roedores e pertencem à família dos Mustelídeos, na qual se incluem os texugos e as lontras.

Copiado de: http://cristalvox.com.br/

Globo ressuscita repórteres antiiiigas!

Noticias No Comments »

Vejo agora o Globo Repórter, uma das poucas coisas que se pode suportar na programação lixo que é levada ao ar pela Globo.
Hoje está no ar uma antiga repórter, senhora Assumpção. Hoje mais do que bem nutrida e com seus cabelos curtos lembra um segurança de casa noturna.
Seria isto a dita ‘desaposentação’ tão comentada ultimamente?
Tenho visto no ar uma negra, cujo nome não recordo e que também havia sido aposentada e agora volta ao ar.
Há outra que havia deixado o ar fazia muitos anos. Não lembro seu nome, mas tem algo a ver com tico-tico ou pardal.

Informação aos leitores e amigos

Noticias No Comments »

Desde a noite dessa quinta-feira, 21/05, enfrento problemas com o acesso ao meu e-mail que é: jorge.loeffler2gmail.com e por essa razão estou recebendo e-mails apenas no seguinte endereço:

Jorge Loeffler

Jornal na TV Globo

Noticias No Comments »

Tenho observado já faz alguns dias que o senhor William Bonnemer sorri muito para a jornalista que o acompanha na bancada. Até posso estar equivocado, pois quando o assunto envolve presumíveis machos e fêmeas sempre enxergo algo a mais.
O pior é que ele está tentando além da leitura de textos como faz desde o começo, manifestar em comentários. Não leva jeito. Nasceu para ler textos tão somente é o que me parece. Penso que nasceu para ler textos jamais terá a desenvoltura de um Boechat (Bandeirantes) esse sim excelente profissional.

PF faz operação em Brasília para apurar fraude de até R$ 875 milhões

Noticias No Comments »

OPERAÇÃO PATRIOTA INVESTIGA GESTORES DO RAMO DE TRANSPORTE E TURISMO.
AGENTES CUMPREM 18 MANDADOS DE BUSCA E 11 DE CONDUÇÃO COERCITIVA.

Isabella Calzolari e Vianey Bentes Do G1 DF e da TV Globo, em Brasília
Veículo de luxo apreendido durante operação da Polícia Federasl me Brasília nesta sexta-feira (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)Veículo de luxo apreendido durante operação da Polícia Federal em Brasília nesta sexta-feira (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

mercedes

A Polícia Federal realiza na manhã desta sexta-feira (22) em Brasília uma operação para investigar um suposto esquema de fraude fiscal que pode ter chegado a R$ 875 milhões. O grupo empresarial apontado como alvo da operação é dono de ao menos sete empresas ligadas ao transporte, turismo e hotelaria.
saiba mais
Polícia Federal faz operação em prédio residencial de Brasília
PF faz operação contra suspeitos de fraudar até R$ 19 bilhões da Receita
A PF não divulgou os nomes dos suspeitos, mas apuração do colunista do G1 Matheus Leitão indica que o alvo da operação é o empresário Wagner Canhedo, que foi dono da empresa aérea Vasp e que chegou a ser preso em regime semiaberto em 2013 em processo por sonegação fiscal.

Segundo o chefe da Delegacia de Combate a Crimes Financeiros da Polícia Federal, João Thiago Oliveira Pinho, o grupo é bastante conhecido na capital federal e algumas das empresas já tiveram falência decretada. Os empresários são suspeitos ainda de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e falsidade ideológica.
O empresário Wagner Canhedo Filho (Foto: TV Globo/Reprodução)O empresário Wagner Canhedo Filho

wagner
(Foto: TV Globo/Reprodução)
O filho do empresário, Wagner Canhedo Filho, estava até as 12h10 na PF, em uma sala onde agentes tomam depoimentos. Ele saiu da Superintendência da PF por volta das 13h e não falou com a imprensa.
Canhedo Filho foi preso em flagrante por posse ilegal de arma. Na casa dele foram encontradas duas armas com registro vencido, uma sem registro e o documento de uma arma que estava no escritório dele. O empresário pagou R$ 38 mil de fiança.
Ao todo, 18 mandados de busca e apreensão e 11 mandados de condução coercitiva foram expedidos, além da prisão em flagrante por posse ilegal de arma. De acordo com Pinho, o grupo usava empresas de fachada em nome de laranjas para desviar o dinheiro que seria recolhido para pagamento de impostos.

“Essas empresas transferiam grande parte do patrimônio para empresas laranjas em nomes de familiares e ex-funcionários e faziam operações de empréstimos que eram de gaveta”, afirmou o delegado. “Estamos investigando o grupo há um ano, mas ele vem há décadas fugindo da execução fiscal e cometendo diversas fraudes.”
Essas empresas transferiam grande parte do patrimônio para empresas laranjas em nomes de familiares e ex-funcionários e faziam operações de empréstimos que eram de gaveta. Estamos investigando o grupo há um ano, mas ele vem há décadas fugindo da execução fiscal e cometendo diversas fraudes”
João Thiago Oliveira Pinho, chefe da Delegacia de Combate a Crimes Financeiros da Polícia Federal
Com essa operação, a administração das empresas ficará a cargo de um auditor fiscal indicado pela Receita Federal a pedido da Justiça. Com o afastamento dos gestores e a posterior indicação de um auditor fiscal, a polícia pretende garantir que as empresas continuem funcionado, os empregos dos funcionários do grupo sejam mantidos e os valores devidos ao Fisco voltem a ser recolhidos.
“A grande diferença nesse caso é que vamos substituir a gestão dos empreendimentos. É um caso relativamente inédito de forma que o gestor atual será substituído por um auditor da Justiça”, disse Pinho.

Ao menos dois carros foram apreendidos durante a operação. Segundo a polícia, nem todas as sete empresas do grupo continuam em funcionamento. A PF identificou quatro empresas de fachada.

A operação acontece em parceria com a Procuradoria da Fazenda Nacional. O procurador do órgão Pablo Pedrosa disse acreditar que será difícil a recuperação do dinheiro supostamente desviado.
“Considerando a dívida de R$ 875 milhões, é de difícil recuperação, mas medidas como essa [de um auditor fiscal cuidar das empresas] vão diminuir esse déficit de recuperação e recuperar esse dinheiro que é público, fruto de impostos não pagos”, disse.
Pedrosa contou que o órgão iniciou as investigações em 2014. “Somente a partir de 2014 a gente identificou esse processo de operação e obtivemos decisões judiciais favoráveis no âmbito da execução fiscal que acabaram resultando nessa parceria.”
Postado por blog do leitão às 14:59

Copiado de: http://mariscoventania.blogspot.com.br/

De “Santa” Casa só o nome

Noticias No Comments »

“Diz o Editor: tudo em que essa e as demais ‘igrejas’ metem a mão só importa o lucro. Essas ditas igrejas deveriam ser banidas de nosso país, pois inúteis a não ser para elas próprias que arrecadam diuturnamente milhões de reais, dinheiro que não retorna à sociedade vez que IMUNES TRIBUTARIAMENTE, ao contrário de nós que pagamos impostos.”

Essas situações ainda acontecem porque as condenações são para lá de tímidas, praticamente insignificantes, exceto se quem reclama reparação é um magistrado, quando se pode observar a elevação das cifras de modo bastante significativo.
A falta de critérios na legislação dá oportunidade a tal exercício de corporativismo.

-=-=-=-=-

NEGATIVA IMORAL
Recusar atendimento de gestante em trabalho de parto gera dano moral

Por negar atendimento a uma mulher que estava em trabalho de parto, a Santa Casa de Santos e uma operadora de plano de saúde foram condenadas a pagar indenização no valor de R$ 15 mil. A mulher teve de procurar um hospital público. A decisão é da 6ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Segundo o processo, em fevereiro de 2008, a mulher deu entrada na documentação para que a criança nascesse no hospital. Mas, ao entrar em trabalho de parto, foi informada pelos funcionários que, em razão de problemas com o plano de saúde, o procedimento não poderia ser feito. Ela não havia sido notificada da suspensão do contrato com antecedência e precisou ir a um hospital público.

Em relação a suspensão do plano, o hospital informou à Agência Nacional de Saúde que os atendimentos a grávidas foram mantidos e que, no caso específico, o plano só foi suspenso em definitivo a partir de abril de 2008, quando a criança já havia nascido.

Acontece que, segundo a decisão, a autora estava grávida no momento da suspensão do plano de saúde, e por isso se enquadrava na situação prevista no ofício encaminhado à ANS, “razão pela qual o atendimento médico não poderia ser negado pelo hospital”, afirmou o desembargador Fortes Barbosa, relator do recurso.

“O dano moral decorre do sofrimento físico e psicológico suportado pela autora, a qual, em trabalho de parto, em razão da injusta negativa de cobertura, teve que procurar atendimento médico em hospital da rede pública”, disse.

Barbosa condenou o hospital e o plano de saúde a pagarem o valor de R$ 15 mil de indenização de forma solidária. Segundo ele, por ser relação de consumo, quem se compromete a prestar serviços de saúde tem responsabilidade pela qualidade dos serviços prestados, “enquadrando-se na hipótese o plano de saúde e o hospital onde os médicos trabalham”.

Os desembargadores Vito Guglielmi e Percival Nogueira também participaram do julgamento e acompanharam o voto do relator. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP.

Apelação 0011442-77.2010.8.26.0562

Imprimir Enviar por email 343 21 0

Topo da página
Revista Consultor Jurídico, 15 de novembro de 2014, 9h00

Copiado de: http://izidoroazevedo.blogspot.com.br/

Tucanalhice punida – Juiz condena Richa e Helisul a devolverem R$ 2 milhões ao erário por contrato sem licitação

Noticias No Comments »

sexta-feira, 22 de maio de 2015

A 4.ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba condenou o governador Beto Richa, o dono da empresa Helisul e o chefe da Casa Militar, Adilson Casitas, a indenizar o governo em R$ 2 milhões em função de uma contratação emergencial de aeronaves em 2011. A sentença foi dada nesta quinta-feira pelo juiz Guilherme de Paula Rezende. Cabe recurso.

A sentença do juiz foi dada em resposta a uma ação popular movida por Roberto Rocha contestando a decisão do governo de contratar aviões sem licitação no início do mandato de Richa. Na época, a Helisul recebeu R$ 2 milhões pelo contrato. A argumentação da acusação dizia que a Helisul, tendo prestado serviços para a campanha de Richa, teria sido beneficiada pelo governo.

Na sentença, o juiz diz que o governo tinha três aviões em condições de uso – embora fossem considerados inservíveis pelo governo, tinham registro e autorização da Anac para voar. Uma das aeronaves, posteriormente, foi inclusive leiloada e vendida para o próprio Eloy Biezus, dono da Helisul.

A contratação de um avião a jato e de um helicóptero sem licitação ocorreu por três meses, entre março e junho de 2011. Depois, a Helisul venceu também a licitação e continua prestando serviços para o governo do Paraná.

O governo do estado diz que o contrato “foi assinado respaldado em parecer jurídico garantindo a legalidade da contratação. Foi amparado ainda na avaliação técnica de membros da Casa Militar, que atestaram a necessidade da contratação. Cabe ressaltar também que não houve prejuízo algum aos cofres públicos. E, por último, o governador Beto Richa irá recorrer da decisão”.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/

Copiado de: http://izidoroazevedo.blogspot.com.br/

PF indicia dez “médicos fantasmas” do HC

Noticias No Comments »

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Antônio More/Gazeta do Povo

FACHADA DO HC

Dez médicos concursados do HC foram indiciados pela PF, acusados de falsidade ideológica.OPERAÇÃO SÃO LUCAS

Segundo investigações, eles fraudavam as folhas-ponto e atendiam em clínicas particulares quando deviam estar no hospital universitário

Felippe Aníbal

Dez médicos concursados do Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foram indiciados pela Polícia Federal (PF) por estelionato, falsidade ideológica, abandono de função pública e prevaricação. Segundo as investigações, eles agiam como servidores “fantasmas”: recebiam salários sem cumprir a carga-horária para a qual foram contratados. Nos horários em que deveriam estar no HC, os médicos atendiam em clínicas e hospitais particulares, dos quais eram donos ou sócios. A operação foi batizada de “São Lucas”, em menção ao padroeiro da medicina.
Após denúncias, reitoria da UFPR quer acelerar implantação de ponto biométrico.

Operação revelou que dez médicos da instituição fraudavam as folhas-ponto e atendiam em clínicas particulares quando deviam estar no hospital universitário

“A prática era de notório conhecimento no HC”, disse o delegado de repressão aos crimes financeiros, Maurício de Brito Todeschini. “Há indícios de que a prática estava difundida entre outros setores e funcionários”, completou.

A investigação começou a partir de uma auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU), que fez um pente-fino no hospital universitário e suspeitou da baixa produtividade de alguns médicos. O órgão pegou como amostragem os dez casos mais evidentes e aprofundou os levantamentos, em parceria com a PF.

Segundo as apurações, alguns dos médicos indiciados sequer iam ao HC. Outros chegavam a comparecer à unidade, mas, segundo a PF, “ficavam poucos minutos e iam embora”. Posteriormente, eles fraudavam as folhas-ponto – preenchidas manualmente – indicando que cumpriram a carga-horária regularmente. O índice médio de comparecimento real dos indiciados, no entanto, era de 7%.

“Isso afetava diretamente o HC, no que diz respeito ao atendimento de saúde. As dificuldades do HC não são estruturais: são decorrentes de crimes de gestão”, avaliou o delegado de combate ao crime organizado, Igor Romário de Paula. Só a fila de espera por uma cirurgia cardíaca no HC, por exemplo, chega 1354 dias.

Para comprovar as fraudes, a CGU e a PF cruzaram as folhas-ponto dos investigados com o registro das catracas do HC e com informações do sistema de Serviço de Informações Hospitalares (SIH), desde o ano de 2010. As autoridades também analisaram dados de clínicas e hospitais particulares que pertencem aos médicos.

“Eles usavam residentes para ficar em seus lugares no HC, enquanto há indícios de que iam atender em seus hospitais”, disse Todeschini.

“Personalidades de destaque”

A CGU e a PF não divulgaram o nome dos médicos indiciados. Segundo os órgãos, trata-se de “personalidades de destaque” em suas respectivas especialidades de atuação. Os investigados atuam nos setores de ultrassonografia, radioterapia, clínica médica, nefrologia, transplante de medula, cirurgia toráxica e cardíaca, serviço de reprodução humana, radiologia e ginecologia.

“Identificamos que houve aumento de fila e que muitos atendimentos deixaram de ser feitos”, afirmou Moacir Rodrigues de Oliveira, chefe regional da CGU.

O salário dos indiciados varia de R$ 4 mil a R$ 20 mil. Entre eles, estão três médicos que são professores da UFPR.

Além dos dez médicos, sete chefes de setores do HC prestaram depoimento nesta quinta-feira (21) à PF. As autoridades também cumpriram mandados de busca e apreensão no HC. Na próxima etapa, os órgãos vão investigar se outros servidores também participaram dos supostos crimes.

“Vamos avaliar os níveis de responsabilidade e que outros médicos apresentavam este comportamento”, assinalou Oliveira.

A PF solicitou à Justiça o afastamento dos médicos indiciados e autorização para fazer buscas nas casas e clínicas dos investigados, mas os pedidos foram negados.

Responsável pelo HC, a UFPR deve se manifestar por meio de nota ainda nesta quinta-feira. Já o Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM-PR) informou, por meio de nota, que tomou conhecimento por meio da imprensa, do indiciamento de dez médicos, na Operação São Lucas. O órgão acrescentou que encaminhará os fatos noticiados a sua corregedoria e que pode abrir sindicâncias, caso se configure alguma infração ética na conduta dos profissionais.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/

Copiado de: http://izidoroazevedo.blogspot.com.br/

Tiradas do João Almino em tempos de ódio virtual

Noticias No Comments »

Postado por Juremir em 22 de maio de 2015 – Uncategorized

João Almino costuma ser gratuitamente vítima de observações deselegantes.

Mas nunca perde a calma.

É um bagual zen.

No máximo, passa a mão no cabo do facão ou do relho.

Ele estava num bolicho da Padre Chagas, bebericando um vinho, quando foi interrompido por um estranho.

– Gosto muito de ti, mas esse teu cabelo é ridículo.

João Almino bebeu um gole serenamente e disse:

– Já?

– Já o quê? – surpreendeu-se o mala de garupa (vive no cangote dos outros).

– Gozou?

– Como gozar? – atrapalhou-se ainda mais o inconveniente.

– Foi bom pra você? – questionou Almino como resposta.

– Que pergunta é essa? – roncou o estranho

– Não é o que se pergunta a alguém que acaba de ter um orgasmo?

– Acho que me levaste a mal. Sou teu admirador.

– Claro, claro. Por isso mesmo, vai um conselho: cuidado com a ejaculação precoce. O prazer pode ser intenso, mas passa rápido.

*

Frequentador de redes sociais enquanto mateia ao amanhecer e ao entardecer, João Almino recebeu 23 vezes a mesma mensagem:

– Vai te tratar, cara.

Na vigésima-quarta mensagem, Almino exclamou de cuia na mão:

– Esse taura está doente, tchê. Precisa de um psiquiatra.

*

– A astronomia não é a tua praia – afirmou o vivente.

– Prova!

– Como posso provar?

– Com quantos paus se faz uma canoa?

– O que isso tem a ver com astronomia?

– Para falar de praia, tchê, precisa conhecer as cousas do mar.

João Almino foi parado na rua por um perguntador:

– O que diferencia o ódio da crítica, Seu Almino?

– O ódio.

*

– Doutor João Almino, por favor, defina capitalismo.

– Simples: o sistema econômico em que todo crime é, no máximo, culposo. Ou legítima defesa.

*

– Defina comunismo.

– Uma impossibilidade coletiva.

Copiado do blog do Juremir Machado da Silva

WP Theme & Icons by N.Design Studio
Entries RSS Comments RSS Entrar