As coisas mudaram muito com o passar do tempo. Outrora se a memória não me trai quando se reuniam TRÊS ou mais como esses ordinários na fotografia tínhamos o crime de FORMAÇÃO DE QUADRILHA. Porém mais ordinário muito mais ordinário do que esses três é aquele velho metido a guri que tomou o Poder no Golpe de Estado.

O Editor

 

 

crusaecbon

A segunda decisão do TRF impedindo a posse de Cristiane Brasil  no Ministério do Trabalho, depois que Cármem Lúcia mandou dizer a Michel Temer que não liberaria a assunção da filha de Roberto Jefferson  no cargo, é uma decisão definitiva.

Tudo o que ainda ocorrer é pantomima, como faz o Jefferson “2.0”,  Carlos Marun, ao dizer que o governo irá “ao STJ ou STF” para tentar empossá-la.

Natural, Temer precisa fazer de tudo para tentar acalmar o furioso “Bob Jeff”.

Há, porém, uma outra questão, que o horror à escolha da ex-futura-ministra encobre.

Como dizem os advogados, tratemos de uma preliminar: Roberto Jefferson e sua filha são uma abjeção e seu controle sobre o Ministério do Trabalho é repugnante a qualquer um que compreenda o órgão como um instrumento dos direitos dos trabalhadores.

Mas este é um julgamento político e moral.  o meu.

Do ponto de vista jurídico, porém, aquela senhora está em pleno gozo de seus direitos civis, pode votar e ser votada.

O seu  impedimento é de natureza moral.

E o Brasil se torna, cada vez mais, um país onde se julga de acordo com uma ordem moral e não pela ordem legal.

Julgamento moral é prerrogativa da população, não de juízes.

Ao se apossarem dele, servindo-se de casos em que a abjeção “legitima” a sua usurpação de poder, habilitam-se para outros esbulhos .

Copiado de:  http://www.tijolaco.com.br/blog/filha-de-jefferson-moral-e-o-direito/