Presentes Cassiá Carpes, Nestor Hein, Presidente do SIMERGS e um cirurgião e criador de bois em lugar denominado de Caçapava do Sul.

Nestor Hein, culto e educado como sempre cai bem no programa, idem o médico Argolo e Cassiá. Esses três são homens de opinião e sabem se portar no programa. Já aquele médico que se julga uma sumidade e que nem mesmo sabe diferenciar FRALDA de FRAUDA do verbo FRAUDAR.

Este defende a pena de morte. E até admito que ele seja vítima da educação recebida lá no interiorzão, onde o dono fazenda é gente e os demais que lá vivem são apenas povão, empregados que devem agradecer ao emprego que lhes é dado como se fosse um favor.

Defender a pena de morte é próprio de pessoas que não pensam como deveriam. Uma vez executada uma pena de morte a mesma é IRREVERSÍVEL gostem ou não, queiram ou não.

E hoje mais do que nunca a ciência criminalística evolui a olhos vistos. A incorporação dos exames de DNA tem provado que alguns condenados à morte são INOCENTES e como ainda não executados e assim é devolvida aos mesmos não somente a LIBERDADE como a DIGNIDADE.

Penso que para certos crimes a prisão perpétua é não somente interessante  como necessária. Pena de morte nunca assim penso.

O que me faz diferir desse doutor criador de bois e arrogante como poucos é que ele é MÉDICO e assim se julga quase  divino enquanto eu sou apenas mais um que não cria bois, mas penso e isto para mim é algo importante.