Ao longo da minha vida na atividade policial lidei com muitos ordinários, mas por certo nenhum tão ordinário quanto esse Temer.

O Editor

O presidente Michel Temer tem dado explicações a amigos e conselheiros próximos sobre as razões que o teriam levado a incentivar o empresário Joesley Batista, da JBS, a dar dinheiro a Eduardo Cunha e ao doleiro Lucio Funaro, que estão presos. Segundo os relatos, Temer saberia que a família de Cunha passa por grandes dificuldades financeiras, já que ele está com todos os bens bloqueados. Por isso, ao ouvir de Joesley que o empresário estava pagando uma mesada ao parlamentar, o presidente apoiou a iniciativa. “Foi tudo num contexto humanitário. O presidente diz que jamais pensou que isso poderia beneficiá-lo com o silêncio do Cunha”, diz um amigo que conversou com o presidente. No áudio da gravação feita por Joesley e entregue ao Ministério Público Federal, o empresário diz que fazia pagamento a Cunha e a Funaro para que ficassem em silêncio sobre irregularidades envolvendo aliados. Temer então teria respondido: “Tem que manter isso, viu?”.

Fonte: www.AffonsoRitter.com.br