Faz já vários anos que uma mulher devidamente separada daquele com que fora casada teve intimidade com alguém. O ex-marido ao saber disto e se imaginando acima dos demais decidiu “castigar” o ousado que usufruirá da mulher, fato ao que sei consentido pela mesma.

Ele pensou e lembrou que conhecia um marginal que já fora membro da guarda de quarteirão do Estado. Certo de vingar-se procurou o tal sujeito que lhe indicou outros dois bandidos que sob a promessa de pagamento vantajoso deveriam castrar o outro da dita senhora.

Estes, armada uma emboscada apanharam a vítima e na hora da execução do serviço decidiram apenas AMPUTAR UMA ORELHA o que foi feito.

O fato obviamente gerou um inquérito policial que elucidou o fato em seus detalhes.

A vítima diante de tamanho constrangimento acabou por abandonar a cidade e os criminosos, todos eles submetidos a processo crime.

Resultaram todos eles condenados a longas penas de reclusão como seria de esperar.

Os três bandidos de menor calibre social, ou seja, aquele que indicou os executores e os próprios pegaram 15 anos de reclusão e desde então cumprem suas penas.

O MANDANTE, bem este tem “status social”, pois médico e assim levou o processo a todas as instâncias possíveis.

No final do ano passado parece-me que finalmente foi decidido que ele que para mim é o MAIOR DENTRE TODOS ESSES BANDIDOS restou condenado a uma pena de apenas CINCO ANOS em regime semi-aberto.

Isto por si só já é para mim um absurdo INADMISSÍVEL.

Assim o BANDIDO MAIOR iria gozar o dia em liberdade e dormiria na CADEIA a noite.

Mas como sempre, nesse país tudo tem sempre um MAS, tal bandido hoje está livre, leve e solto e ainda por cima trabalha para o DETRAN.

Não conheço esse bandido pessoalmente e não tenho o menor interesse em conhecê-lo, pois nada mais do que um BANDIDO e da pior espécie.

Algo estranho ocorreu nesse caso e penso que em nosso Tribunal de Justiça o que me preocupa vez que temos um Tribunal até prova em contrário dos mais respeitáveis de nosso país.

Se algum leitor souber de algo mais que possa me fazer compreender isto que me faço o favor de informar via e-mail.