Essa nova Lei que trata de abuso de autoridade penso tenha vindo em boa hora. Penso que os Delegados da POLÍCIA FEDERAL estão desmoralizados já que foram usadas como se fossem guardas de quarteirão para praticar crimes como a condução coercitiva do Presidente Lula a um aeroporto em São Paulo. Condução coercitiva descabida, pois como não havia sido devidamente intimado descabida tal CONDUÇÃO COERCITIVA.

Os AGENTES do MP e em especial os da PGR colocaram as unhas de fora sem o menor constrangimento e assim começou uma verdadeira bagunça que atenta contra o mandamento constitucional vez que ali está explicitado que há apenas DUAS AUTORIDADES na persecução penal que são os MAGISTRADOS e os DELEGADOS DE POLÍCIA.

Os AGENTES DO MP, especialmente nos Estados se juntam com guardas estaduais e saem às ruas brincando de ser polícia.

Já faz alguns anos, AGENTES DO MP e membros da guarda estadual aqui em nosso Estado saíram às ruas na madrugada e passaram a prender o que consta seriam criminosos que foram levados aos ditos quartéis onde tanto AGENTES do MP quanto esses AGENTES da AUTORIDADE POLICIAL literalmente pintaram e bordaram e, quase na hora do encerramento do expediente levaram “seus presos” a uma Delegacia Distrital onde pretendiam a lavratura de Auto de Prisão em Flagrante.

A AUTORIDADE POLICIAL, no caso uma mulher, ao ouvir o primeiro dos ditos “conduzidos” percebendo o ABSURDO PRETENDIDO mandou LIBERAR aos ditos presos que eram na verdade VÍTIMAS.

À partir dali o fato tornou-se risível, pois esses AGENTES, membros do MP ousaram denunciar a AUTORIDADE POLICIAL criminalmente.

Óbvio que tamanha ESTUPIDEZ restou arquivada, pois acima das pretensões de servidores que não conhecem o seu verdadeiro lugar está a Lei Maior.

Levaram nos dedos, mas não aprenderam e continuam colocando as unhas de fora com certa regularidade.