Desrespeito às leis de trânsito foi constatado entre os quilômetros 8 e 22, da rodovia federal que liga São Luís ao continente

Em quase toda a extensão da BR-135, entre o Km 0 e o bairro da Estiva, é comum a existência de retornos irregulares. Foto: G.Ferreira

A BR-135 é uma das mais movimentadas do Maranhão, principalmente pelo fato de ser o único elo entre a capital e o continente. Devido ao grande número de veículos que trafegam por ela e pela pressa de alguns motoristas em chegar ao seu destino, uma prática tem se tornado comum, a abertura de retornos irregulares no canteiro central da rodovia.

Entre os quilômetros 8 e 22 da BR, numa extensão de apenas 14 Km, foram conferidos 16 aberturas indevidas que os condutores utilizam para encurtar seus trajetos.

O levantamento feito pela equipe do Jornal Pequeno, quinta-feira (19), apontou que existem mais de um retorno irregular por quilômetro na BR-135. Além de ser proibida, a prática também é bastante perigosa; e, conforme populares, acidentes são registrados diariamente nos trechos onde a irregularidade está localizada.

Segundo apurado pelo JP, os trechos nos bairros Nova República, Pedrinhas e Estiva, seriam os mais perigosos, complicados e inseguros, devido ao uso das passagens irregulares no canteiro central da rodovia.

Nesses locais, de acordo com moradores, os retornos indevidos, de tão utilizados, parecem já ser encarados com normalidade pelos condutores de carros e motocicletas. A prática seria comum e pode ser observada a qualquer hora do dia, conforme a vendedora de lanches Cleudiana de Oliveira. Cleudiana mora no bairro da Nova República, na altura do Km 8, onde a reportagem encontrou o primeiro retorno irregular.

Nesse local, a abertura indevida no canteiro central da rodovia foi feita bem próxima a uma parada de ônibus. “Quem fica nesse ponto de ônibus está vulnerável à ação inconsequente de motoristas apressados. Eu, que trabalho vendendo lanche no alpendre da minha casa, assisto com uma frequência assustadora as colisões de veículos; graças a Deus, na maioria das vezes, o prejuízo é somente material, danos nas latarias de carros e motos”, disse a vendedora de lanches. Somente no Km 8, a reportagem conferiu exatos cinco retornos irregulares; no Km 9, o número
caiu para quatro.

Até o bairro da Estiva, na altura do Km 22, foram percorridos pela equipe do JP 14 quilômetros de rodovia, e na soma total o resultado da quantidade de locais onde o canteiro central foi cortado na BR-135 chegou a 16. “Apesar da sinalização e de existirem retornos permitidos, motoristas utilizam espaços onde a mudança de pista fica mais arriscada, por isso acontecem a ‘toda hora’ os acidentes”, disse o mototaxista Pedro Silva Ribeiro, que trabalha em um posto de mototáxi localizado em frente a um retorno indevido.

Janilson Oliveira Ferraz, que também é mototaxista, garantiu que o desrespeito às leis de trânsito na BR-135 é comum. “É o tempo todo. A toda hora, eles pegam esses retornos, tanto faz em um sentido, como no outro”.

MULTA MAIS REGISTRADA

De acordo com o inspetor Antônio Noberto, da 18ª Superintendência Regional da Polícia Rodoviária Federal (PRF), além de ultrapassem por acostamento e motociclistas sem capacetes, a multa de
retorno indevido é uma das mais extraídas pela PRF.

“Fazemos a parte de fiscalização e o serviço de comunicar o Dnit sobre esses retornos irregulares”, garantiu Noberto. Segundo o inspetor, uma viatura da PRF circula todos os dias pela rodovia, e se for visto alguém cometendo a infração, os policiais são responsáveis por abordaremos motoristas, revistarem os veículos, e extraírem as multas; que, conforme Antônio Noberto, com base no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) estaria em torno de R$ 293,47.

“A gente lembra que até recente os retornos na BR-135 eram quase todos irregulares, eles não tinham, por exemplo, a zona de desaceleração – quando o veículo reduz a velocidade para poder retornar. Foi uma empresa privada de São Luís que financiou os retornos, colocando zona de desaceleração. Isso melhorou bastante, mas, o povo é imediatista, querem fazer manobras em qualquer local”, ressaltou o inspetor.

OUTRO LADO

Por meio de nota, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou que está em fase de assinatura o contrato de conservação para o trecho da BR-135, mencionado na reportagem. E, ainda, que está previsto o fechamento de todos os retornos irregulares com o apoio da PRF.

Copiado de:  https://jornalpequeno.com.br/2017/10/21/br-135-possui-16-retornos-irregulares-numa-extensao-de-apenas-14-quilometros/