“A imprensa internacional começa a perceber o que está acontecendo e vários veículos vêm manifestando apoio ou simpatia a Dilma”. (Foto: Joana Berwanger/Sul21)

Da Redação

O advogado, ex-deputado estadual e ex-marido de Dilma Rousseff, Carlos Franklin Paixão de Araújo morreu na madrugada deste sábado, aos 79 anos no Complexo da Santa Casa, em Porto Alegre. Ele estava internado desde do dia 25 de julho com um quadro de cirrose medicamentosa. Quadro histórico do PDT, ajudou a fundar o partido junto com o ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro, Leonel Brizola. Participou da resistência armada contra a ditadura que se instalou no país após o golpe de 1964, militando junto com Dilma Rousseff na organização Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares).

Depois de casados, ambos foram presos em 1970, e torturados durante seu período na prisão. Voltaram para Porto Alegre em 1974, quando Araújo passou a administrar o escritório de advocacia do pai, falecido no mesmo ano. Ana Paula, única filha do casal, nasceu em 1976, e lhes deu dois netos, Guilherme, que tem pouco mais de um ano, e Gabriel, que completa sete em 9 de setembro.

Foi deputado estadual no Rio Grande do Sul por três mandatos, entre 1982 e 1994, pelo PDT. Em 2004, se desfiliou da legenda e se afastou da vida partidária, voltando a se filiar em março de 2013 ao mesmo partido. Na ocasião, falou em trabalhar pelo resgate do trabalhismo da sigla, considerado por ele  como o “caminho brasileiro para o socialismo”.

Dilma Rousseff estava no Rio de Janeiro participando de um evento na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e está retornando para Porto Alegre.

NOTA OFICIAL DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA

“Com imenso pesar comunicamos o falecimento do Dr. Carlos Flanklin Paixão Araujo. O mesmo ocorreu ao primeiro minuto de hoje, 12 de agosto de 2017, na unidade de tratamento intensivo do Pavilhão Pereira Filho, hospital especializado em doenças respiratórias da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.

Aos 79 anos, era portador de doença pulmonar obstrutiva crônica, complicada por quadro de miocardiopatia dilatada isquêmica. Internou para manejo de descompensação das condições referidas.

Apresentou infecção de vias aéreas inferiores, com necessidade de admissão à unidade de terapia intensiva, uso de ventilação mecânica por insuficiência respiratória.

Evoluiu com infecção generalizada, determinando colapso circulatório e, finalmente, refratariedade às medidas, com óbito.

Expressamos nossos sentimentos à família e amigos do ilustre advogado e político, perda inestimável e motivo de sofrimento para todos que o conheciam”.

Sadi Marcelo Schio
CRM 24880

Em 2011, em depoimento à novela “Amor e Revolução, do SBT, Carlos Araújo falou um pouco sobre a militância contra a ditadura, ao lado de Dilma Rousseff:

Em 2013, prestou o seguinte depoimento à Comissão da Verdade, em Porto Alegre: