Praia de Xangri-Lá

Saiba tudo o que REALMENTE acontece em Xangri-Lá

Category: Noticias (Page 1 of 2467)

JBS pagava R$ 40 mi por ano a Meirelles e ele não sabia de nada

por Luiz Müller
POR FERNANDO BRITO no TIJOLAÇO

 

 

meirelles o inocente

meirellesjoesley

Já que nossa imprensa sofreu uma súbita amnésia sobre as ligações entre Henrique Meirelles, Joesley Batista e o grupo JBS, trago algumas insuspeitas memórias, publicadas há cinco anos, pela insuspeitíssima revista Exame, do grupo Abril, quando da contratação do hoje Ministro da Fazenda pelo agora empresário-delator :

Evidentemente, não foi apenas para melhorar a competitividade de uma grande empresa brasileira com projeção global que o ex-presidente mundial do BankBoston aceitou o convite de Batista. Há muito, mas muito dinheiro envolvido na sua contratação. Segundo executivos que acompanharam o processo, o contrato prevê uma remuneração anual de até 40 milhões de reais.

Além disso, existe a possibilidade de Meirelles tornar-se sócio do conglomerado, decisão que ele só deve tomar ao longo do ano. Para amigos do ex-banqueiro, o pacote foi fundamental em sua decisão: seus oito anos à frente do BC foram justamente aqueles em que o mercado financeiro brasileiro mudou de patamar.

É lógico que, para ganhar R$ 40 milhões por ano, Meirelles tinha controles sobre os negócios da empresa.

Antes de dar o “sim” a Batista, Meirelles assegurou-se de que não correria nenhum risco. Ao longo de pouco mais de um mês, reuniu-se com advogados e consultores para esmiuçar os balanços da JBS. Recorreu a alguns conhecidos para checar o histórico empresarial dos Batista (apesar de serem todos de Goiás, Meirelles e Joesley só se conheceram em 2008, durante as conversas para a abertura do banco JBS).

E com tudo isso, admita-se, Meirelles não tinha o menor sinal de um processo de corrupção que Joesley diz agora que superou a casa do bilhão de reais?

Será que alguém vai perguntar ao divino ministro da Fazenda se ele não desconfiou de nada em quatro anos no conselho da empresa?

Será que não aparecia nada nas auditorias? Neste caso, para que auditorias?

Será que um homem que, se não participou, nem sequer percebeu o oceano de falcatruas na empresa que dirigia pode presidir um país que está querendo abolir toda a corrupção?

Respostas para a portaria da Rede Globo. O primeiro a responder ganha a informação de quando as empresas do grupo gastaram de propaganda global.

Fonte: https://luizmuller.com/2017/05/22/jbs-pagava-r-40-mi-por-ano-a-meirelles-e-ele-nao-sabia-de-nada/

Distorções na fala de Temer   

Na tentativa de desqualificar a gravação e o interlocutor, o pronunciamento do presidente Michel Temer feito neste sábado (20) contém uma série de erros, imprecisões e distorções. Ele diz, por exemplo, que o áudio foi editado, mas peritos já atestaram que o trecho mais importante não sofreu qualquer alteração. Também diz que não reagiu contra as revelações de crimes feitas por Joesley Batista na conversa por não acreditar no que contava o empresário, mas as investigações já demonstraram que o delator falava a verdade sobre cooptação de investigadores: um procurador da República foi preso. Pronunciamento à parte, o que aconteceu na noite de 7 de março no Palácio Jaburu não foi normal. Primeiro, porque o presidente abriu a residência para receber o dono de empresas que alvo de cinco investigações da Polícia Federal em menos de um ano. Além disso, Joesley entrou no Palácio, pouco antes das 23h, sem se identificar pelo nome verdadeiro. Disse que só abaixou o vidro e e que se chamava “Rodrigo”, primeiro nome do deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB/PR), que inicialmente iria junto, mas acabou desistindo. Ao explicar a Temer como entrou, ouviu do presidente: “Melhor assim.” Em seu depoimento, o empresário afirmou que foi recebido pelo presidente “no porão”.

Fonte: www.AffonsoRitter.com.br

PÓLO NAVAL DE RIO GRANDE: Uma Luta que é de todo o Rio Grande do Sul.

polo naval
por sandroaamiranda
Estaleiro-QGI-contrata-2-mil-trabalhadores-a-partir-de-março

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais, ex-Secretário de Meio Ambiente de Rio Grande/RS.

A presença de quadros da política nacional na cidade de Rio Grande/RS no ato do dia do trabalho em defesa do pólo naval apenas demonstra a importância do tema. A cegueira política de alguns dirigentes do Estado tenta limitar o debate à cidade da Zona Sul. Contudo, uma simples análise do cadeia produtiva da indústria naval e do petróleo e do gás comprova que os efeitos positivos do empreendimento beneficiam toda a região, a Zona Metropolitana da Capital, a Serra, o Jacuí, ultrapassam a fronteira do Estado e do Mercosul. Logo, é um assunto de grande relevância, que beneficia muito mais do que os 25.000 metalúrgicos de Rio Grande, de São José do Norte, de Capão do Leão, de Pelotas e de Santa Vitória do Palmar.

Desta forma, causa estranheza a total omissão do Governo do Estado em relação ao desmonte da industrial naval gaúcha. Falo não apenas segue de silêncio, como defende as ações de Michel Temer (PMDB/SP) que prejudicam todo o povo gaúcho. Parece que o alto comando do Piratini trava uma cruzada contra a população, contra as empresas e contra a economia do Estado. Ao mesmo tempo que acuso o Partido dos Trabalhadores de politizar a pauta, o comando do PMDB faz exatamente o que crítica e politiza negativamente o tema, pois se omite, se esconde e ataca aqueles que defendem os interesses locais. Na verdade, trata-se de uma pauta política concreta onde ficam bem claras as fronteiras entre aqueles que defendem os interesses coletivos e aqueles que apenas queriam se acomodar no poder!

As ações positivas do Prefeito Alexandre Lindenmeyer (PT/RS) em prol do interesse local precisam ser reforçadas, inclusive com a participação dos demais prefeitos e prefeitas da região. A construção civil de Pelotas, por exemplo, avançou nos últimos anos, muito se deve aos investimentos da indústria do petróleo e do gás, à duplicação da BR 116 e ao Polo Eólico. Por sinal, o Governador Sartori (PMDB), que está em processo avançado de venda da CEEE e, por erro estratégico, perdeu os recursos internacionais para implantação do Complexo da Curupira/Povo Novo e agora corre atrás de alguém que queira comprar o projeto. Novamente, quem perde recursos e empregos é a cidade de Rio Grande, pois no erro da administração estadual também tivemos a expulsão da indústria WEG da região.

Há muito mais que investimentos diretos e empregos em jogo. Temos a auto-estima da população, a dignidade da cidade, o crescimento tecnológico e científico, a autonomia energética e uma série de outros elementos que beneficiam a vida coletiva no centro do problema. Sejam bem vindos aqueles que acreditam na região e nesta luta, pois, mais do que nunca, está na hora de conjugar esforços em benefício da sociedade!

Fonte: https://sustentabilidadeedemocracia.wordpress.com/2017/05/22/polo-naval-de-rio-grande-uma-luta-que-e-de-todo-o-rio-grande-do-sul/

POR ISSO QUE DEFENDO A LITURGIA E A CERIMÔNIA

sábado, 20 de maio de 2017

A quem conheço pouco, trato por senhor. Dou senhoria às mulheres em geral. Só dou os tais beijinhos duplos  em quem me puxar para o fazer. Se não, só dou o aperto de mão.
Procuro não brincar com coisas de gênero, opções sexuais.
Nunca presidi uma audiência sem gravata. Nunca  falei banalidades entre a ouvida de uma testemunha e a próxima.
As  portas do meu gabinete eram abertas .
Faço e fiz isso para não me incomodar; eu tenho berço. Já fiz bobagens, mas nunca fiascos.
O pior elemento é o emergente, o novo rico, o correntão. E as ” alpinistas”, distância delas.
Estes não sabem o que é fidelidade, parceria,  sequer a ética dos criminosos ” bala na cara”.
O festejado Constitucionalista não manteve as galas do seu alto cargo; conversou escondido num tugúrio com um arrivista.
Foi ” inocente” como um cordeiro para a imolação.
Peça para sair, Mr. President.
Fonte:  http://ruygessinger.blogspot.com.br/2017/05/por-isso-que-defendo-liturgia-e.html

Brigadeiro Rossato em Comissão do Senado Federal

 

 

Na manhã desse domingo vi e ouvi na TV Senado o que disse esse Oficial General sobre gestão na FAB.

Ressaltou a importância da compra dos aviões de caça suecos que alguns cretinos andaram tentando desmoralizar o negócio feito nos governos do PT por que são brasileiros que são obcecados por tudo aquilo que vem do hemisfério norte, daquele país que nem mesmo nome próprio tem e que quer ser o senhor do mundo. A compra desses aviões de caça da Suécia trará transferência de tecnologia o que irá desenvolver a indústria aeronáutica nacional. Esses bandidos mandam contra por que a eles não importam nossos reais interesses e sim serem servis aos senhores do norte. Esses cretinos são piores do que prostitutas. Correta a compra de tais aviões e correta a decisão do Governo, pois precisamos desenvolvimento e não apenas a submissão aos interesses daquele maldito país do hemisfério norte e que nem mesmo nome próprio tem. Esses idiotas são pautados pela de$one$ta por que $onegadora Rede Mexe Mexe de Televisão.

 

LIÇÕES DE DIREITO – Corromperam o país, conseguiram anistia e foram morar em Nova Iorque

Poderia ter dado outro título a este artigo, algo como “gravou o presidente, comprou dólares e foi passear na Disneylândia”, imitando o filme Matou a Família e Foi ao Cinema.
O Brasil é, de fato, uma jabuticaba. Estamos no meio da maior crise política desde o suicídio de Vargas, e o que vemos? Como chegamos a esse estado de coisas? Bom, não dá para fazer uma reconstrução de tudo neste parco espaço. Na verdade, sobram perplexidades. Sempre fui crítico das delações, justamente porque eram “premiadas” e porque, acerca dessa premiação, não havia fiscalização. Sim, há homologação. Mas qual das homologações já alterou alguma proposta do MPF em algum item relevante?
O auge das premiações chegou com os irmãos Reco Reco e Bolão (ou Ueslei e Jueslei – grande dupla) que resolveram dar um segundo golpe (agora no governo Temer), já que o golpe deles já iniciara no governo Lula. Enricaram tanto que acabaram se atrapalhando com tanto dinheiro (um dos dois chegou a comprar um vestido de noiva de 180 mil dólares, além da noiva ter ido de jatinho para Paris para as provas). Investigados e diante da possibilidade de serem presos (isso não está claro), resolveram dar o golpe nas instituições. Resolveram estroinar com o país. Zonar com a malta.
Um dos irmãos arma uma arapuca para o presidente da República. Grava a conversa. Os dois irmãos levam a gravação ao MPF. Fazem um acordo – pelo qual seus crimes (inúmeros) foram “anistiados” e obtiveram permissão para morar na Disneylândia – e tudo isso é levado ao STF, onde obtiveram a homologação. Segundo a Folha de S.Paulo (ler aqui), a tal fita da gravação da conversa com Temer foi entregue com mais de 50 cortes e/ou edições. Isso ainda vai dar muito pano.
Resultado: alguém vazou partes das fitas e o país quebrou. A Bolsa de São Paulo perdeu R$ 219 bilhões. O dólar explodiu. Detalhe: Reco Reco e Bolão (ou Ueslei e Jueslei), espertamente, compraram US$ 1 bilhão na baixa e, diante da hecatombe que eles mesmos provocaram, venderam na alta. Bingo. Com isso, pagaram a multa que lhes foi imposta no acordo de delação premiadíssima. Barão de Münschausen: afundando no pântano com seu cavalo, salvou-se puxando a si mesmo pelos cabelos. Pindorama é assim: perseguimos o maconheiro infrator e anistiamos os sonegadores e corruptores confessos. Jogamos os maconheiros infratores nas masmorras e permitimos que os sonegadores-corruptores confessos morem livres, leves e ricos em Nova Iorque.
Vendo tudo isso, lembro do famoso caso Riggs v. Palmer, de 1895, julgado coincidentemente em Nova Iorque, nova terra dos irmãos Uesleis. Elmer, o neto, mata o avô para receber mais cedo a sua herança que lhe fora testada. E entrou em juízo para receber a herança, alegando que não havia nenhuma lei que previa seu ato. A lei punia o assassinato, mas não proibia que ele fosse um assassino rico. O Tribunal ferrou Elmer, dizendo: ninguém pode se beneficiar de sua própria torpeza.
Pois os Irmãos Ueslei mataram o avô brasileiro e, ao contrário do que ocorreu nos EUA, aqui foram absolvidos. E ficaram com a herança. Bingo. O Brasil dando lições de direito para o mundo.
O chocante é que os irmãos Uesleis Safadões abriram o bocão atirando para tudo o que é lado, com pérolas como “comprei três deputados pagando cinco milhões para cada um, mas não lembro o nome deles”. Uau. E ninguém perguntou ao delator-premiadíssimo como foi feito esse pagamento, se foi em cash, mandaram por motoboy ou retiraram do caixa eletrônico. Adorei também a bazófia sobre financiamento de campanhas: foram 1.728 candidatos. Só na última eleição. Algo em torno de R$ 600 milhões. E não lhes foi perguntado o modus operandi. Tinha tabela? Como era feito isso? Contas no exterior: falaram muito nisso também. E ninguém lhes perguntou: qual é o número e o pais? Onde estão os recibos? Ou isso existe? Mas, se existe, como a investigação não descobriu? E se tivesse já descoberto, por que necessitaria de delação? Outro detalhe: para os setores da esquerda que vibraram com o feito da dupla Ueslei, acho bom não se empolgarem. Reco Reco e Bolão colocaram pinche e penas no ventilador… A questão que vale para os dois principais delatados (governos anteriores e atual: a conversa dos Ueslei necessita de provas; vou repetir: delação premiada não é uma coisa autopoiética; mas não é, mesmo). 
Não vou falar sobre a (i) licitude da gravação feita na conversa com Temer. Pareceu muito mais flagrante preparado do que a tal ação controlada. Aliás, ação controlada não pode ter sido, pois, ao que consta, o “Ueslei Juruna” fê-lo por sua conta e risco (veja-se: é controverso dizer que se aplica ao caso a Súmula do STF que legitima gravação ambiental; no caso, o Ueslei não estava buscando prova para se salvar ou se inocentar; buscava, sim, prova para usar contra quem foi gravado; neste caso, a privacidade do PR não valeria mais do o direito do Ueslei de construir a prova que viesse a viabilizar a materialidade do crime, tanto é que, na sequência, a fita é usada pelo PGR para investigar o PR?). Ou seja, Ueslei foi buscar provas e, para isso, armou para o Presidente. Obs: cá para nós, que assessoria tem o Temer, hein? Que segurança… Se Reco Reco gravou o PR, Arrelia, Pimpão e seus amigos ficaram se divertindo em vez de cuidarem da segurança de Sua Excelência.
Outra perplexidade: por qual razão o PGR não mandou periciar a fita? E por qual razão o Ministro do STF não exigiu essa perícia? E quem vazou o áudio para o jornalista da Globo? E se a prova for ou fosse ilícita? Não é crime divulgar ou vazar diálogos resultantes de gravação clandestina (supondo que seja, de fato, ilícita)?
Outra coisa: como é possível que a Globo ponha no ar um diálogo interceptado de um ministro do STF? O ministro Gilmar estava sendo investigado? Então estamos em um ponto tal que um ministro da Suprema Corte é arapongado? 
E por qual razão a população tem de pagar o preço desse tipo de espetacularização das investigações? E por que sempre os juristas Merval e Camarote estão capitaneando as opiniões jurídicas? O que está por trás do editorial de O Globo?
Resta-nos fazer um réquiem para o Estado de Direito. Insisto: nada pode ser feito fora da Constituição. No impeachment de Dilma, todo tempo exigi provas. Bradei para que apresentassem o jurídico da questão. E fui o primeiro a denunciar (à BBC de Londres, ao El Pais, ao Jornal O Público de Portugal etc) a ilegalidade da divulgação das interceptações ilícitas da conversa entre Lula e Dilma. E a presidente foi derrubada. Dizia e repito aqui: os fins não justificam os meios. Aliás, em ambos os casos, quais eram ou são mesmo os fins a serem buscados?
A propósito: quem é o Gregório desta(s) história(s)? Quem praticou o atentado de Toneleros de 2017? Mistérios.
Só o que ficou claro mesmo é a vitória dos irmãos Ueslei. Quebraram o Brasil e foram ao cinema. E os trouxas ficaram por aqui. 
Lenio Luiz Streck é jurista, professor de Direito Constitucional e pós-doutor em Direito. Sócio do escritório Streck e Trindade Advogados Associados: www.streckadvogados.com.br.
Revista Consultor Jurídico, 20 de maio de 2017, 12h30
Copiado de:  http://izidoroazevedo.blogspot.com.br/

Deic apreende cinco toneladas de maconha na BR-101 que vinham para o Litoral de SC

Nosso país somente não desandou em termos de segurança como uma maionese por que as POLÍCIAIS JUDICIÁRIAS também conhecidas como civis embora com expressivas carências materiais e humanas vem se desdobrando e literalmente fazendo chover para cima. Exemplo é essa apreensão dos colegas de SC com a prestimosa e valiosa colaboração da POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL, esta outro belo exemplo, pois com menos de dez mil servidores cobre todo o território de nosso país que é continental. Com esse desempenho da PRF por certo os traficantes irão usar rodovias estaduais e aí em nosso Estado estarão livres, leves e soltos, pois a guarda rodoviária aqui só é vista no verão por que regada por polpudas diárias. Após isto eles parece tomarem DORIL, vez que somem. Ontem no programa Atualidades Pampa no Canal 4 de nosso Estado o senhor Armando Burd teceu rasgados elogios à POLÍCIA JUDICIÁRIA que havia desbaratado quadrilha que costumava tomar dinheiro em bancos e sempre fora do ‘horário comercial’.

O Editor

 

 

Ânderson Silva
Deic apreende cinco toneladas de maconha na BR-101 que vinham para o Litoral de SC Betina Humeres/Agencia RBS

Droga apreendida foi apresentada pela Deic nesta manhã

Foto: Betina Humeres / Agencia RBS

Um caminhão carregado com pelo menos cinco toneladas de maconha que saiu de Dourados, no Mato Grosso do Sul, e vinha para o litoral de Santa Catarina foi apreendido pela Divisão de Narcóticos (Denarc) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic). O veículo foi interceptados na madrugada de quinta-feira na BR-101, em Garuva. O trabalho dos agentes contou com a parceria da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Receita Federal, que ajudaram no monitoramento do trajeto feito pelo caminhão.

Segundo o delegado responsável pela Denarc, Pedro Mendes, o produto estava na caçamba de um caminhão bi-trem escondido sob uma carga de milho. Outros dois caminhões também carregados com milho foram abordados no mesmo momento, pois estavam praticamente em comboio com o veículo onde estava a droga. No entanto, não havia entorpecentes dentro deles.

O destino final do carregamento de milho no veículo apreendido era Lauro Müller, mas a polícia acredita que o caminhão iria parar em Palhoça, na Grande Florianópolis, onde então seria distribuído para o restante da região.

— É a maior apreensão de maconha feita em estradas de Santa Catarina. Ainda não estamos, mas estimamos cinco toneladas. Somadas com outras quatro toneladas que pegamos em outubro do ano passado, são quase 10 toneladas em sete meses — explicou Mendes.

O motorista do caminhão era Éder Fabrício da Rosa, 35 anos. Ele não tinha passagens pela polícia. Em depoimento, alegou que não sabia que a droga estava dentro do caminhão. Durante o carregamento, disse ter visto apenas que haviam colocado milho na caçamba.

A droga estava dividida em 165 grandes pacotes. Em alguns deles havia adesivos do símbolo do Avaí e em outros o desenho de um abacate, o que pode estar ligar ao destino dos pacotes. Mesmo com o scaner da Receita não foi possível perceber que havia a maconha na carga. Somente com a abertura do bi-trem é que os agentes perceberam a presença do produto.

— A carreta estava no nome de pessoa jurídica. Então vamos chamar o proprietário da empresa para explicar a presença da droga no veículo — contou o delegado.

O valor da droga apreendida está estimado em R$ 5 milhões. Por isso, agentes envolvidos na ação acreditam que somente o crime organizado pode ter força para a compra e distribuição dos produtos. A cidade de origem da droga, Dourados (MS), é um ponto conhecido da rota do tráfico de drogas que chega em SC. O município fica próximo a Ponta Porã (MS), que faz fronteira com o Paraguai, de onde vem a maior parte das drogas comercializadas no Estado.

Ajuda humanitária diz Temer  

 

Ao longo da minha vida na atividade policial lidei com muitos ordinários, mas por certo nenhum tão ordinário quanto esse Temer.

O Editor

O presidente Michel Temer tem dado explicações a amigos e conselheiros próximos sobre as razões que o teriam levado a incentivar o empresário Joesley Batista, da JBS, a dar dinheiro a Eduardo Cunha e ao doleiro Lucio Funaro, que estão presos. Segundo os relatos, Temer saberia que a família de Cunha passa por grandes dificuldades financeiras, já que ele está com todos os bens bloqueados. Por isso, ao ouvir de Joesley que o empresário estava pagando uma mesada ao parlamentar, o presidente apoiou a iniciativa. “Foi tudo num contexto humanitário. O presidente diz que jamais pensou que isso poderia beneficiá-lo com o silêncio do Cunha”, diz um amigo que conversou com o presidente. No áudio da gravação feita por Joesley e entregue ao Ministério Público Federal, o empresário diz que fazia pagamento a Cunha e a Funaro para que ficassem em silêncio sobre irregularidades envolvendo aliados. Temer então teria respondido: “Tem que manter isso, viu?”.

Fonte: www.AffonsoRitter.com.br

Governo Federal autoriza aumento de até 13,55% em planos de saúde

O reajuste poderá ser aplicado entre maio de 2017 e abril de 2018, para planos que foram contratados de janeiro de 1999 ou para os adaptados à Lei nº 9.656/98

Foto: Reprodução

A Agência Nacional de Saúde (ANS) autorizou, nesta sexta-feira (19), reajuste de até 13,55% nas mensalidades de 8,2 milhões de beneficiários dos planos de saúde individuais e familiares. A autorização foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) e poderá ser aplicado entre maio de 2017 e abril de 2018, para planos que foram contratados de janeiro de 1999 ou para os adaptados à Lei nº 9.656/98, que representam 17,2% do total de 47,5 milhões de usuários dos planos no país.

O reajuste deverá ser aplicado a partir do  mês de aniversário do contrato, permitida a cobrança de valor retroativo pelos meses de defasagem, em relação a divulgação do percentual e a data de aniversário.

A ANS explica que, se o mês de aniversário do contrato é maio, a mensalidade de junho será acrescida do valor referente à cobrança retroativa de maio. Já para os contratos com aniversário entre junho deste ano e abril de 2018 não poderá haver cobrança retroativa. Os 13,55% são o limite máximo de reajuste e são baseados nos percentuais de reajuste dos contratos coletivos com mais de 30 beneficiários.

Caso o reajuste anual coincida com mudança de faixa etária, o consumidor terá os dois aumentos na sua mensalidade. Em casos de dúvida o consumidor deve entrar em contato com a ANS pelo telefone 0800 701 9656 ou no site da operadora.

Fonte: https://jornalpequeno.com.br/2017/05/19/governo-federal-autoriza-aumento-de-ate-1355-em-planos-de-saude/?utm_source=sendpulse&utm_medium=push&utm_campaign=jppush

Casa do povo é nossa e não pode ser usada para orações  

130
ACÕES


por Gabriela Rondon
para o site Jota

O que se decide nas comissões da Câmara dos Deputados está sob especial holofote nas últimas semanas, com as reformas trabalhista e da previdência movimentando a maior parte das atenções. Mas, há poucos dias, por outra razão os órgãos legislativos foram parar em notícias: o anúncio de que, em vez de debates parlamentares, suas salas recebem todas as semanas cerimônias católicas e evangélicas, em horário de funcionamento da Casa.

Católicos e evangélicos fazem
proselitismo na Câmara

São os próprios deputados que se alternam no comando dos cultos. Na manhã da última quarta-feira, a sala da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática foi palco de algo muito distante da regulação da produção científica do país: houve culto da Renovação Carismática Católica, liderada pelo deputado Eros Biondini (PROS-MG), que cantava e tocava louvores em violão, acompanhado de mais de uma dezena de outros deputados e servidores com as mãos erguidas e bíblias abertas nas mesas de debate.

Na mesma manhã e no mesmo corredor, outro deputado, Pastor Eurico (PHS-PE), conduzia o culto evangélico na Comissão de Tributação e Finanças, onde chegou a bradar “a nossa justiça não é a nossa justiça, é a justiça do senhor Jesus cristo”. Poucas frases são tão óbvias no ataque à laicidade do Estado como essa.

O problema dos eventos religiosos na Câmara dos Deputados não é só que ocupem o tempo de trabalho de parlamentares, embora esse ponto já seja suficientemente grave.

É uma afronta à democracia que considerem possível colonizar o espaço público das comissões legislativas com seus ritos privados de adoração a deuses.
A confusão das esferas não se limita ao uso inadequado de um espaço previsto para outro fim, mas reverbera na atuação desses mesmos deputados. Basta lembrar que Pastor Eurico foi um dos responsáveis por apresentar projeto apelidado de “cura gay”, que pretendia permitir a realização de terapias para “reverter homossexualidade”, e é uma das vozes atuantes na cruzada “contra a ideologia de gênero” e “em favor da família” para impedir debates sobre discriminação e desigualdade no parlamento e em escolas.

Na Constituição Federal não há nenhuma vez a palavra laicidade ou Estado laico. Mas isso não significa que o princípio não esteja claro: o art. 19 estabelece textualmente que é vedado ao Estado em qualquer de suas esferas, “estabelecer cultos religiosos ou igrejas”, ou “manter com seus representantes relações de dependência ou aliança”.

Quando deputados se reúnem em horário útil, despendendo tempo e recursos públicos para reforçar os dogmas que orientam suas atuações proselitistas, é a aliança com os divinos particulares, e não com os princípios republicanos do debate público, que é reforçada. Exatamente o que o texto constitucional veda.
Mas sempre é tempo de lembrar àqueles que nos representam: a casa do povo é nossa. Não de seus deuses.
Fonte:  http://www.paulopes.com.br/2017/05/casa-do-povo-eh-nossa-e-nao-pode-ser-usada-para-oracoes.html#more

Page 1 of 2467

Powered by WordPress & Theme by Anders Norén