Praia de Xangri-Lá

Saiba tudo o que REALMENTE acontece em Xangri-Lá

Categoria: Noticias (Page 2 of 2802)

Com ICMS de 30% sobre gasolina e 12% sobre diesel, governo do RS silencia sobre crise dos combustíveis

 

Esse desgoverno que temos em nosso Estado costuma DOAR a empresários bandidos, aqueles que recebem nos caixas de suas empresas o ICMS pago por nós e depois que acumulam milhões ou bilhões de reais tais valores são GENEROSAMENTE DOADOS a eles sob o título de INCENTIVO FISCAL. Assim em 2016 rede de mercados aqui do litoral cresceu e muito. Igualmente uma empresa produtora de refrigerantes que havia ACUMULADO uma dívida de CENTO E TRINTA MILHÕES DE REAIS ganhou tal valor como INCENTIVO FISCAL para a construção de uma fábrica de cervejas. Assim sempre há falta de recursos para SAÚDE, EDUCAÇÃO E SEGURANÇA PÚBLICA.

Nós se ou quando precisamos de dinheiro temos que nos submeter a juros escorchantes cobrados pelos bancos, mas os RICOS NÃO, eles são mais cidadãos. O que eles têm melhor do que nós, simples mortais? Não sei, mas suspeito que eles quando de eleições são generosos em doações. Somente assim se pode explicar tal comportamento desse e de outros Governos.

O Editor

 

Ameaça de desabastecimento de postos de gasolina devido à greve dos caminhoneiros resulta em filas de carros de motoristas em busca de combustível | Foto: Joana Berwanger/Sul21

Luís Eduardo Gomes

Enquanto o governo federal, a Câmara e o Senado estão há dias realizando uma reunião atrás da outra para debater quais medidas podem tomar para atenuar a crise dos combustíveis e atender a reivindicação de movimentos de caminhoneiros paralisados desde segunda-feira (21), governos estaduais silenciam a respeito da questão. Contudo, é justamente o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) que tem o maior impacto no preço final. No caso do Rio Grande do Sul, o Estado está entre aqueles que cobram as maiores alíquotas de ICMS sobre o preço da gasolina e do etanol. Por outro lado, está entre aqueles que cobram a menor alíquota sobre o óleo diesel.

Segundo informações da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes(Fecombustíveis), as alíquotas de ICMS cobradas dos combustíveis variam de estado para estado e de tipo de combustível. No caso da gasolina, variam de 25% a 34%. No etanol, de 12% a 30%. No óleo diesel, de 12% a 25%.

O RS está entre os estados com a maior alíquota de ICMS para o etanol (30%) e no meio da tabela para a gasolina (30%). Esse patamar foi atingido no início de 2016, quando entrou em vigor a legislação do governo Sartori que elevou a alíquota do ICMS de 25% para 30%. Já no caso do diesel, a alíquota gaúcha está no patamar mais baixo, 12%, igual a dos demais estados da região sul (SC e PR).

Segundo levantamento da Fecombustíveis, que usa como referência a segunda quinzena de maio de 2018, o impacto do ICMS no preço da gasolina no RS é o terceiro maior do país, R$ 1,322 por litro de gasolina (a tributação total, incluindo impostos federais, representa R$ 1,973 do valor do litro) — atrás de RJ, R$ 1,607, e MG, R$ 1,450, enquanto o menor é registrado em SC, R$ 0,980. No caso do etanol, é o maior do país, R$ 1,229 (a tributação total é de R$ 1,471), com o segundo colocado sendo TO, R$ 1,030 e o com menor carga SP, R$ 0,325.

De acordo com a Secretaria da Fazenda, a alíquota do diesel permanece idêntica há mais de 20 anos e o governo, quando promoveu o aumento da alíquota geral do ICMS para os demais combustíveis, optou por não elevar para o óleo porque “levou em conta justamente o impacto sobre os custos no transporte público, transporte de cargas (caminhoneiros) e a atividade agrícola (máquinas)”. De acordo com o levantamento da Fecombustíveis, o impacto do ICMS no preço do óleo diesel é o terceiro menor do país, R$ 0,402 por litro de diesel S500 (a tributação total é de R$ 0,863) e R$ 0,415 no diesel S10 (R$ 0,875) — SC e PR estão abaixo dos R$ 0,4 em ambos os tipos.

A Fazenda ainda informa que, por orientação do governador Sartori, o secretário da Fazenda, Luiz Antônio Bins, irá a Brasília para participar na manhã desta sexta-feira (25), às 11h, de uma reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), convocada pelo governo federal para tratar da tributação dos combustíveis e marcada para o Palácio do Planalto. Uma posição a respeito da tributação no Estado deverá ser anunciada apenas após o encontro.

Em meio à crise, surgiu no Senado a proposta, de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), de limitar a alíquota do ICMS sobre a gasolina e etanol a 18% e para 7% sobre o óleo diesel.

Copiado de:  https://www.sul21.com.br/ultimas-noticias/politica/2018/05/com-icms-de-30-sobre-gasolina-e-12-sobre-diesel-governo-do-rs-silencia-sobre-crise-dos-combustiveis/

Coisas que se vive numa guerra

 

 

Meu pai, Rudolf Löffler, filho de Oscar e Paulina nasceu em Pabianice, então Pomerania.

Eram cinco filhos, dois homens e três mulheres. Meu pai era o mais velho deles e o segundo foi meu tio Edmund que sei ter uma neta em München cujo nome é Christa e segundo sei proprietária de uma Perfumaria.

Não recordo os nomes das minhas três tias as quais deixaram sua terra natal e se espalharam pela Europa.

Meu avô era ARMADOR, mas tenham calma, pois não tinha tanto assim para construir navios. Ele produzia caixões funerários e tinha uma funerária.

Contava o pai a nós, o Henrique meu único irmão e já falecido que ele ainda guri ficava feliz toda vez que morria alguém de maiores posses, pois o carro que os conduzia ao cemitério era tracionado por quatro lindos cavalos negros. Rudolf então era vestido a rigor, usando até mesmo uma cartola.

Minha avó fazia cucas enormes e as escondia dentro dos caixões para que as crianças não as comecem antes de autorizadas. Assim quando eles “atacavam” umas dessas cucas tinham que comê-la de uma só vez.

Restavam obviamente embuchados.

Hahaha…

Com a convocação do meu avô à guerra ele foi levado ao front russo de onde felizmente retornou terminada a guerra.

Os alimentos eram controlados ao extremo e mesmo dispondo de meios não se conseguia nas quantidades desejadas. Um amigo do meu avô, residindo distante vários quilômetros moia clandestinamente trigo e para buscá-lo meu pai caminhava horas para ir e voltar.

Numa noite de muita neve meu pai caminhou pelos campos, pois as estradas eram patrulhadas e já no retorno foi surpreendido por um ataque de artilharia contra um acampamento militar. A ele restou deitar em meio à neve e aguardas as horas passarem.

Cessado o ataque quando amanhecia ele como todo o guri se aproximou por curiosidade do que havia restado do acampamento de militares bombardeado.

Viu cadáveres aos pedaços e uma égua cuja barriga tinha rompido e com a cria ao lado dela, ambas mortas.

 

 

Cargas vivas estão há 50 horas sem alimentação, diz associação

Da Agência Brasil

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) alertou nesta quinta-feira (24) que os caminhoneiros, que estão há quatro dias parados por rodovias de mais de 20 estados do país, estão descumprindo a promessa de liberar a circulação de veículos que transportam carga viva. Em nota, a entidade diz que começou a receber relatos de que cargas vivas estavam sem alimentação há mais de 50 horas.

A ABPA também relata que vários caminhões de ração estão paradas, sendo que a situação nas granjas produtoras é “gravíssima”, com falta de insumos e risco iminente de fome para os animais. “A cadeia produtiva da avicultura e da suinocultura do país iniciou esta quinta-feira com 120 plantas frigoríficas paradas – produtoras de carne de frango, perus, suínos e outros. Mais de 175 mil trabalhadores estão com atividades suspensas em todo o país”, informa a nota da entidade.

A ABPA ressalta que os danos ao sistema produtivo são graves e demandarão semanas até que se restabeleça o ritmo normal em algumas unidades produtoras. “A ABPA, portanto, apela ao movimento dos caminhoneiros pelo cumprimento da promessa com a liberação do transporte de animais e rações em todos os bloqueios, além da retirada mínima de produtos nas fábricas para a retomada da produção. Os protestos são justos, mas é preciso bom senso e evitar a perpetuação desta situação aos animais”, informa a entidade.

Segundo o presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, os caminhoneiros não estão proibindo a passagem de veículos que transportam itens essenciais como remédios nem cargas vivas, produtos perecíveis ou oxigênio para hospital. Ônibus com passageiros e ambulâncias também estão podendo passar pelos bloqueios.

Copiado de:  https://www.sul21.com.br/ultimas-noticias/geral/2018/05/cargas-vivas-estao-ha-50-horas-sem-alimentacao-diz-associacao/

Agora no Pampa Debates

 

 

Presente Walter Nagelstein, um membro do MPE e o dono dos Mecardos ASUN, titio de uma deputada estadual apoiadora desse desgoverno que afunda nosso Estado.

Esse senhor ficou um POUQUINHO mais rico em 2016 quando comprou DIVERSOS GRANDES MERCADOS na Grande Porto Alegre, dois deles da Rede Zaffari.

Penso que esse desgoverno está sendo muito interessante a apenas alguns que penso privilegiados.

ICMS sobre combustíveis em nosso Estado

 

 

Soube hoje que pagamos 30% sobre a gasolina ao passo que o óleo diesel paga apenas 12%. O difícil de suportar é que o querosene de aviação é tributado em apenas SEIS POR CENTO.

Aviões sejam eles de transporte de cargas ou passageiros decolam sempre com TONELADAS DE QUEROSENE o que vale dizer que nós todos subsidiamos o transporte aéreo. Isto é justo? Penso que não.

Naufrágio mais valioso da história é encontrado na Colômbia

Redação Pragmatismo

O “Santo Graal” dos naufrágios: navio mais rico de todos os tempos é encontrado na Colômbia e vale US$ 17 bilhões. Embarcação afundou há 310 anos

Naufrágio mais valioso da história é encontrado na Colômbia

Fábio Marton, Aventuras na História

Por extenso: dezessete bilhões de dólares. Equivalente ao PIB, o total produzido pela economia, de um país como Moçambique. O valor estimado é 34 vezes maior que o segundo mais rico naufrágio já tirado do mar, o Nuestra Señora de Las Mercedes, encontrado em 2007, que rendeu US$ 500 milhões em artefatos recuperados.

galeão San José foi ao fundo após ser abatido por uma esquadra britânica na Ação de Wager, em 8 de junho de 1708. Era a Guerra de Sucessão Espanhola, na qual uma disputa após a morte do rei Carlos II, sem filhos, levou a uma guerra internacional entre as facções Bourbon e Habsburgo, apoiadas por duas coalizões. A Inglaterra, com o Sacro Império Romano-Germânico, a República Holandesa e Portugal, estava a favor dos Habsburgo. A França era o principal aliado dos Bourbon, a quem pertencia o navio.

De 600 tripulantes do San José, 11 sobreviveram. O resto foi a fundo com uma gigantesca carga de ouro, esmeraldas e prata tiradas das colônias espanholas.

O naufrágio foi detectado no final de 2015 na Península de BaruColômbia. Só agora saiu a confirmação oficial. O arqueólogo em questão foi o submarino Remus 6000 — o mesmo usado para encontrar, em 2011, a carcaça do Airbus A330 do voo 447 Air France, que caíra dois anos antes perto do arquipélago de São Pedro e São Paulo, em Pernambuco.

A expedição foi obra da Instituição Oceanográfica Woods Hole, dos EUA, com a autorização das autoridades locais. “Mantivemos o segredo em respeito ao governo colombiano”, afirmou o vice-presidente da WHOI, Rob Munier, à Associated Press.

Ainda resta saber quem é o dono dessa bolada toda. A ONU já pediu para o governo da Colômbia não explorar o naufrágio comercialmente. A Espanha está também interessada, já que era sua propriedade então. Segundo reportagem da Bloomberg, o mesmo pode ser clamado pela França, na batalha com a Espanha, ou o outro lado, Holanda e Inglaterra, que receberiam o butim do vencedor.

Por hora, por razões óbvias, a localização exata e profundidade exatas do naufrágio continuam a ser segredo de Estado.

Copiado de:  https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/05/naufragio-mais-valioso-historia-colombia.html?utm_source=push&utm_medium=social&utm_campaign=artigos

 

Operação Império em combate ao roubo é deflagrada em Florianópolis

A POLÍCIA JUDICIÁRIA não tem hora estabelecida para encerrar as atividades, apenas para começar e por isto é comum jornadas de 24, 36 e até mesmo 48 horas, algo desgastante, porém necessário. A outra cumpre turnos de seis horas e já precisa descansar. Por isto há os ditos Postos Policiais onde dormem. Por isto digo à comunidade que não patrocinem referidos postos que somente lhes trarão prejuízo.

O Editor

Publicação: 

Operação Império em combate ao roubo é deflagrada em Florianópolis
Ação Policial – Foto: Polícia Civil

Com o objetivo de apurar a autoria do roubo a uma casa lotérica, a Polícia Civil desencadeou, na manhã desta quinta-feira (24), a Operação Império. As ações se concentraram na cidade de Florianópolis, onde foram cumpridos, com apoio da Polícia Civil de Santa Catarina, 8 mandados de busca e apreensão, dois mandados de prisão preventiva e um mandado de prisão temporária.

O crime ocorreu em dezembro de 2017, na cidade de Alvorada. Na ocasião, o estabelecimento comercial foi roubado por indivíduos utilizando armas de fogo. Proprietários e funcionários estavam na casa lotérica e foram rendidos pelos criminosos.

Segundo o delegado João Paulo de Abreu, as investigações apontaram que a organização criminosa responsável pelo crime praticou pelo menos 7 fatos envolvendo diretamente uma empresa de transporte de valores, atacando, por vezes, casas lotéricas, mas também o próprio serviço de depósito e transporte de numerário.

Foi encontrada uma pistola calibre 9mm com um dos indivíduos que foi preso preventivamente pelo roubo, o que resultou também na sua autuação em flagrante por posse irregular de arma de fogo. Ao todo, cerca de 31 policiais civis gaúchos e catarinenses participaram das diligências.

 

Michel Fontana

Copiado de:  http://www.pc.rs.gov.br/conteudo/49333/operacao-imperio-em-combate-ao-roubo-e-deflagrada-em-florianopolis-

Raciocínio honesto em nosso país não vale nada  

 

Diante dessa situação em que caminhoneiros por não mais suportarem os preços ABSURDOS praticados por ESSA MEGA QUADRILHA que tomou o Governo Federal de assalto cheguei a pensar que bastaria que os transportadores rodoviários cortassem o abastecimento aos aeroportos, onde CENTENAS DE TONELADAS DE QUEROSENE são consumidas a cada dia e assim esse corja que ocupa o CONGRESSO NACIONAL ficaria sem transporte entre suas cidades de origem e Brasília de onde retornam na quinta-feira e para onde voltam somente na terça-feira seguinte.

Pensava que deveriam obviamente abastecer apenas as BASES DA FORÇA AÉREA.

Aviões não são abastecidos por LITROS e sim TONELADAS DE QUEROSENE.

Mas logo descobri que meu raciocínio embora lógico não se coadunava com nossa triste realidade, pois aquele VELHO GOLPISTA E DESTITUIDO DE VERGONHA na cara colocaria todas as aeronaves da FAB à serviço daqueles bandidos ditos congressistas.

Soluções assim são quase impossíveis nesse país, infelizmente.

DAER e guardas rodoviários por omissão são os responsáveis pelo que ocorre às margens da RS-118 em Gravataí  

 

Essa rodovia é obra construída pelo Governador Leonel de Moura Brizola. Ao longo do tempo ela se tornou estreita, necessitando assim de ampliação e aí surgiram os problemas decorrentes da IRRESPONSABILIDADE DO DAER E SEUS GUARDAS RODOVIÁRIOS.

Digo isto por que em toda a rodovia que existe há também a denominada FAIXA DE DOMÍNIO, área lateral onde é VEDADA A OCUPAÇÃO por quem quer que seja.

Ali a ocupação ocorreu ao longo dos anos por que tanto o DAER quanto os SEUS GUARDAS RODOVIÁRIOS sempre fizeram vistas grossas, não fazendo assim a obrigação para a qual eram todos os servidores pagos ao final de cada mês.

A duplicação entre a Free-Way e a BR-116 começou faz vários Governos os quais apenas fincaram placas à margem da rodovia nada fazendo.

O único Governo que deu início à duplicação foi o Governo Tarso Genro que fez boa parte do trecho, mas parou naquele trecho agora retomado por que houve a necessidade de mover processos para reintegração de posse devido a VERGONHOSA OMISSÃO DO DAER E SEUS GUARDAS.

Porém naquele trecho final ainda não haviam sido sentenciados os processos movidos pelo Governo passado, os quais somente agora permitem a reintegração de posse.

Quanto a alegada CONCLUSÃO DA OBRA ATÉ O FINAL ANO digo que não passa de bravata desse desGoverno que aí está, pois necessário construir viaduto sobre a linha férrea do TRENSURB em Sapucaia do Sul e isto não se faz do dia para a noite.

 

Nota sobre a política de preços da Petrobrás

Nota sobre a política de preços da Petrobrás

23 MaioLido 5166 vezes

A AEPET reafirma o que foi expresso no Editorial “Política de preços de Temer e Parente é ‘America First!’ “, de dezembro de 2017.

 

A Petrobrás adotou nova política de preços dos combustíveis, desde outubro de 2016, a partir de então foram praticados preços mais altos que viabilizaram a importação por concorrentes. A estatal perdeu mercado e a ociosidade de suas refinarias chegou a um quarto da capacidade instalada. A exportação de petróleo cru disparou, enquanto a importação de derivados bateu recordes. A importação de diesel se multiplicou por 1,8 desde 2015, dos EUA por 3,6. O diesel importado dos EUA que em 2015 respondia por 41% do total, em 2017 superou 80% do total importado pelo Brasil.

Ganharam os produtores norte-americanos, os “traders” multinacionais, os importadores e distribuidores de capital privado no Brasil. Perderam os consumidores brasileiros, a Petrobrás, a União e os estados federados com os impactos recessivos e na arrecadação. Batizamos essa política de “America first! ”, “Os Estados Unidos primeiro!”.

Diante da greve dos caminhoneiros assistimos, lemos e ouvimos, repetidamente na “grande mídia”, a falácia de que a mudança da política de preços da Petrobrás ameaçaria sua capacidade empresarial. Esclarecemos à sociedade que a mudança na política de preços, com a redução dos preços no mercado interno, tem o potencial de melhorar o desempenho corporativo, ou de ser neutra, caso a redução dos preços nas refinarias seja significativa, na medida em que a Petrobrás pode recuperar o mercado entregue aos concorrentes por meio da atual política de preços. Além da recuperação do mercado perdido, o tamanho do mercado tende a se expandir porque a demanda se aquece com preços mais baixos.

A atual direção da Petrobrás divulgou que foram realizados ajustes na política de preços com o objetivo de recuperar mercado, mas até aqui não foram efetivos. A própria companhia reconhece nos seus balanços trimestrais o prejuízo na geração de caixa decorrente da política adotada.

Outra falácia repetida 24 horas por dia diz respeito a suposta “quebra da Petrobrás” em consequência dos subsídios concedidos entre 2011 e 2014. A verdade é que a geração de caixa da companhia neste período foi pujante, sempre superior aos US$ 25 bilhões, e compatível ao desempenho empresarial histórico.

Geração operacional de caixa, US$ bilhões
2011      2012      2013      2014      2015      2016      2017
33,03     27,04     26,03     26,60     25,90     26,10     27,11

A Petrobrás é uma empresa estatal e existe para contribuir com o desenvolvimento do país e para abastecer nosso mercado aos menores custos possíveis. A maioria da população quer que a Petrobrás atue em favor dos seus legítimos interesses, enquanto especuladores do mercado querem maximizar seus lucros de curto prazo.
Nossa Associação se solidariza aos consumidores brasileiros e afirma que é perfeitamente compatível ter a Petrobrás forte, a serviço do Brasil e preços dos combustíveis mais baixos e condizentes com a capacidade de compra dos brasileiros.

* Associação dos Engenheiros da Petrobrás (AEPET)

Copiado de:  http://aepet.org.br/w3/index.php/artigos/noticias-em-destaque/item/1749-nota-sobre-a-politica-de-precos-da-petrobras

Page 2 of 2802

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén