O título parece-me já ter ouvido em alguma canção que não recordo, mas próprio ao momento em que vivemos. Chove já faz certamente mais de uma semana e quase que de forma ininterrupta. Temos assim segundo alguns que se recusam a pensar o dito mau tempo. O que é bom tempo? Seria sol abrasador por longas semanas sem uma única gota de chuva? Os que pensam sabem que tanto chuva quanto sol são indispensáveis à vida.
Temos cerca de uma dúzia de canais de televisão em mãos de igrejas. Uns vergonhosamente ‘concedidos’ à igreja romana num estado que é laico como o nosso e outros tantos alugados pelos concessionários que pensam apenas no vil metal. Temos também o Estado Brasileiro que a tudo assiste sem nada fazer como se não fosse sua obrigação colocar ordem no lupanar que são esses canais de televisão. Das igrejas, por já estar consolidada, a romana, rica e até com um banco a prestar serviços à máfia americana é a mais discreta ao pedir dinheiro. Pede nos seus cultos e praticamente todos os dias ano em incontáveis cantos desse país e do restante do planeta onde atua tem festas em louvor a seu fulano, seu beltrano e por aí. Para isto ela tem uma quantidade incalculável de ‘santos’ e mesmo tendo tantos santos ainda promove o dia de todos os santos. Essa é a maior família que imagino habitar o planeta, família Santos. Tão grande que até havia um banco de falcatrua com o nome dessa família.
Do ludopédio já faz algum tempo migram às ditas igrejas nomes conhecidos. Lembro-me do Silas, o que jogou no São Paulo FC, jogou igualmente na Argentina e não aquele outro Silas o que ao emocionar-se com suas grandes plateias começa a gritar fininho. Não se deu lá muito bem. Tivemos igualmente o jogador Kaka do São Paulo, este nascido em Brasília e que pelo que pude ouvir dele em entrevistas nascido numa família esclarecida. O Kaka como ganhava muito dinheiro caiu nas graças duma tal bispa Sonia e a ela entregou alguns milhões de reais. Essa bisca, digo, bispa, ao ingressar em território do grande irmão do norte foi apanhada com dinheiro na cueca, opa, cueca não, mulheres penso que ainda não usam cueca. Penso, pois do jeito que as coisas estão indo difícil afirmar algo quanto a sexo nos dias atuais. A tal bispa levando dinheiro, na cueca ou não caiu em cana e cumpriu uma pena em cadeia americana. Sou do tempo em que somente petistas e o respeitável jornalista Humberto Trezzi carregavam dinheiro na cueca. Cadeia cura falta de vergonha? A resposta é não, pois tão logo libertado esse exemplar casal retornou ao país e estão lá a tomar dinheiro de incautos. Agora descobri outra igreja na TV. O chefão é um gritão, bem nutrido que eventualmente traja um vestido parece-me que feito com saco de aniagem na cor marrom. Esse sujeito se intitula apóstolo como aquele negrão que hoje segue seu próprio caminho e que já foi empregado do Edir Macedo.
Sábado à noite passando pelos diversos canais caça níqueis vi, para minha surpresa outro conhecido boleiro, Marcelinho Carioca vendendo o seu ‘peixe’ ao lado do tal Apóstolo.
Esses pilantras não tem o menor constrangimento em mentir de forma descarada aos incautos. Eles curam, ao vivo e a cores, unha encravada, dor de cabeça, dor de barriga, problemas de coluna e até mesmo ‘flato’ atravessado como escreve certo amigo em seu conceituado blog e cujo nome não cito, por respeito e sabedor de que ele não é idiota como a grande maioria. Para quem não sabe o que seja um flato há três caminhos a percorrer para descobrir. Primeiro, uma coisa dos tempos do onça e hoje quase em total desuso que é o dicionário, outro caminho é o oráculo que você tem no computador e o terceiro é que eu diga logo. Não na direi, vão pesquisar vadios.