•  

    Logo essa roubalheira chega a casa de UM BILHÃO DE REAIS. Há no vizinho Estado e em especial na sua Capital, A CIDADE DE FLORIANO, ladrões demais fora da cadeia. Todos eles tidos como gente fina, mas que não passam de ladrões descarados. Até quando vão continuar usando essa ponte para roubar o suado imposto cobrado dos que trabalham?

    O Editor

     

     

  • POR:
  • SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Foi instalada na quarta-feira (27/02) a CPI da Ponte Hercílio Luz, que vai investigar os gastos com a reforma do “Cartão Postal de Florianópolis”.

A obra já se arrasta por 28 anos e consumiu R$ 764 milhões dos cofres públicos.

Dezoito alterações entre contratos e aditivos já ocorreram, com troca de empresas e mudança de projeto.

A ponte foi interditada em 1982, reaberta para pedestres e bicicletas em 1986 e fechada definitivamente em 1991, para reforma.

A reforma, porém,  só começou 14 anos depois e, neste ano,  a ponte vai completar 15 anos em obras, com diversas paralisações e trocas de empresas.

Em março de 2016, uma nova empresa, o Grupo Teixeira Duarte, assumiu a obra comprometendo-se com um prazo de 30 meses e conclusão no segundo semestre de 2018.

Num seminário quinta-feira na Assembléia, o engenheiro responsável pela obra, Wenceslau Diotallevi, disse que a ponte está pronta.

O que falta decidir agora é qual vai ser o uso dela: está em condições de receber qualquer tipo de veículo (“o que passa na ponte de Laguna passa na Hercilio Luz”, disse o engenheiro. Mas há movimentos comunitários que defendem que a ponte integre uma rota turística, para pedestres, ciclistas e veículos leves.

O deputado Marcos Vieira (PSDB) foi eleito para a presidência da CPI e relator será Bruno Souza (PSB), que propôs a CPI.

A comissão tem nove deputados indicados pelos partidos e blocos: Fernando Krelling e Jerry Comper (MDB); Jessé Lopes e Sargento Lima (PSL), indicados pelo Bloco Social Liberal (PR e PSL); Marcos Vieira (PSDB) e Kennedy Nunes (PSD), indicados pelo Bloco Social Democrático (PSD, PDT, PSDB e PSC); João Amin (PP) e Bruno Souza (PSB), indicados pelo Bloco PP-PSB-PRB-PV, e Luciane Carminatti (PT).

Copiado de:  http://www.jornalja.com.br/cpi-da-ponte-vai-investigar-reforma-que-ja-custou-r-764-milhoes/