Isto é fruto do absurdo que são essas guardas estaduais abarrotadas de ‘coroné’, gente que não vai às ruas fazer a obrigação. Nosso Estado é um claro exemplo disto, pois a tal Casa Militar já abrigou UMA GRANDE QUADRILHA DE LADRÕES. Creiam.

Tal ocorreu no Governo da paulistana, aquela dos rolos do DETRAN ocorridos em Santa Maria. 

Na tal Casa Militar havia uma quadrilha chefiada por um ‘coroné’. Eles furtavam telhas compradas com recursos do Tesouro do Estado e destinados a assistência às vítimas de intempéries, telhas que eles mesmos vendiam a comerciantes tão CRIMINOSOS quanto eles na grande Porto Alegre. Apanhados pela DELEGACIA DE POLÍCIA em Alvorada, o chefão da quadrilha foi “aposentado” em não mais do que UMA SEMANA. E acredito que nem mesmo tenha perdido a aposentadoria polpuda. Quanto a ir para a cadeia, lugar de ladrões como esses, penso que isto não tenha ocorrido pelo manto de silêncio com que foi encoberto esse quadrilhão.

Já minha aposentadoria que entrei pela porta da frente no serviço público e pela mesma saí levou creio que não MENOS DO QUE TRÊS MESES.

E foi completamente esquecido pelos tradicionais meios de comunicação que com freqüência são alvo de “festinhas” promovidas por essa guarda nas quais recebem diplomas elogiosos e medalhinhas. Nossa imprensa é uma VERGONHA.

Essa guarda tem preocupações outras que não são as nossas, pois administram fazendas do Estado e vários HOTEIS DE VERANEIO em nosso litoral norte, em Tramandaí e Cidreira.

Eles tem ainda um TRIBUNALZINHO particular e somos um dos únicos TRÊS ESTADOS nesse país que se dá ao luxo de tal absurdo. O gringo caloteiro e metido a humorista sem a menor graça sabe disto e não trata de nos livrar de tamanha despesa, pois isto sim é algo completamente desnecessário.

Ou esse país busca uma maneira de se livrar dessas descabidas guardas tal como são ou jamais teremos o policiamento de quarteirão pelo qual pagamos excessivos tributos e em conseqüências em nossas ruas e cidades.

O Editor

 

Os dados são solicitados via Lei de Acesso à Informação, seguindo o padrão metodológico utilizado pelo Fórum no Anuário Brasileiro de Segurança Pública

Crimes: mais de 3 mil pessoas foram assassinadas em fevereiro no Brasil

Notícias ao Minuto Brasil

HÁ 5 HORAS POR NOTÍCIAS AO MINUTO

BRASIL PESQUISA

OBrasil registrou, em fevereiro deste ano, mais de 3 mil assassinatos violentos. O levantamento não considera os dados de seis estados, que ainda não divulgaram os números. O índice nacional de homicídios foi criado pelo portal G1 e faz um mapeamento do número de mortes violentas mês a mês no país.

De acordo com a reportagem, o número consolidado (3.276) contabiliza todos os homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, que, juntos, compõem os chamados crimes violentos letais e intencionais.

PM que denunciou tortura após assumir ser gay é expulso e teme morte

O Monitor da Violência foi desenvolvido pelo G1 , em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Os dados são solicitados via Lei de Acesso à Informação, seguindo o padrão metodológico utilizado pelo Fórum no Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

O objetivo da pesquisa é antecipar os dados e possibilitar um diagnóstico em tempo real da violência, além de obrar transparência por parte dos governos.

Os estados que não forneceram os números deram explicações. Na Bahia, a secretaria diz que o setor que trabalha com o fechamento dos dados dos dois meses não determina um prazo para a conclusão e que, quando as informações forem liberadas, serão divulgadas.

A Secretaria do Maranhão informa que os dados consolidados sobre mortes violentas e outros crimes ocorridos no Maranhão em fevereiro têm previsão de divulgação apenas para junho deste ano. “O período obedece ao prazo de três meses legalmente estabelecido pelo Ministério da Justiça, o qual considera as condições de registro de ocorrências disponíveis nas unidades federativas do país, como as dimensões territoriais e oferta de serviço de internet disponíveis nos estados.”

Em Minas Gerais, a secretaria diz que os dados de janeiro e fevereiro de 2018 ainda serão divulgados. A pasta afirma que os números passam por auditagem para “total transparência e confiabilidade”. Até o momento, o governo tem apenas os dados de latrocínio (7 em janeiro e 8 em fevereiro)

O órgão responsável pelos dados no Paraná afirma que não possui a informação sobre ambos os meses. “As estatísticas referentes a homicídios, antes da divulgação, passam por quatro ciclos de controle de qualidade. Durante a realização da validação foram encontradas distorções que estão sendo homologadas para, então, ocorrer a divulgação. Foram encontradas distorções nos meses de janeiro e fevereiro. Assim que os dados forem validados, serão prontamente divulgados para a população por meio do site.”

Em Rondônia, a secretaria não informa os números de fevereiro; a Polícia Civil diz que ainda aguarda o retorno dos departamentos que concentram as informações

A Secretaria de Tocantins afirmou que as delegacias levam um tempo para informar os números e, por isso, os dados de janeiro e de fevereiro ainda não foram consolidados.

Copiado de:  https://www.noticiasaominuto.com.br/brasil/578913/crimes-mais-de-3-mil-pessoas-foram-assassinadas-em-fevereiro-no-brasil?utm_source=notification&utm_medium=push&utm_campaign=578913