Esse General deixou enorme saudade no povo do Haiti que ainda não o esqueceu.

O Editor

 

 

 

 

O ministro do GSI, general Augusto Heleno, ficou irritado com os questionamentos da deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP) durante uma audiência pública na Câmara ao falar sobre a defesa de Eduardo Bolsonaro sobre um novo AI-5

Share to WhatsAppShare to MessengerShare to Mais…

247 – Durante uma audiência pública na comissão da Câmara dos Deputados para falar sobre monitoramento dos movimentos sociais , de povos indígenas e do Sínodo da Amazônia, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, bateu boca com a deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP), ao falar sobre as declarações do ministro sobre a fala do também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), sobre o AI-5.

A deputada questionou por que ele não havia repudiado a fala de Eduardo na semana passada, quando disse ao jornal O Estado de S. Paulo que “tem que estudar como vai fazer”.Além de acusar o repórter do jornal de ter descontextualizado sua fala e tê-lo pego desprevenido, Heleno demonstrou irritação com a insistência da parlamentar, argumentando que Eduardo Bolsonaro já havia se desculpado pela fala e por isso não iria repudiar.

“Eu não vou repudiar, porque ele repudiou […] A senhora vai me torturar pra eu falar?”, disse.

Segundo ele, “há duas visões da História do Brasil” e para ele a ditadura militar “não foi golpe, foi contrarrevolução”. “Se não houvesse contrarrevolução, hoje seríamos Cuba. A sua posição é a posição que a esquerda adotou. Essa radicalização política não interessa a ninguém”, disse Heleno.

Ao comentar as declarações de Eduardo Bolsonaro, sem saber da repercussão negativa de sua defesa de reedição do AI-5, caso a esquerda radicalizasse, Heleno disse que teria que estudar como implementaria medida.

“Se falou, tem de estudar como vai fazer, como vai conduzir. Acho que, se houver uma coisa no padrão do Chile, é lógico que tem de fazer alguma coisa para conter. Mas até chegar a esse ponto tem um caminho longo”, afirmou.

Na Câmara, o general voltou a atacar a presidenta Dilma Rousseff e disse que os militares acusados de torturadores foram os mesmos que conseguiram fazer, “no período militar, uma anistia que levou uma terrorista à Presidência da República”. Para Heleno, todos que lutaram contra o regime militar eram “terroristas”.

No entanto, contraditório, o general disse que garantia a todos os presentes que sua geração e as seguintes nas Forças Armadas “estão completamente vacinadas contra qualquer sintoma de ditadura”.

“Dessas coisas que ficam assustando aí as pessoas, e que muitas vezes é bandeira para quem não tem muita coisa para inventar e inventa isso aí”, declarou.

Copiado de:  https://www.brasil247.com/brasil/heleno-em-bate-boca-com-samia-na-camara-vai-me-torturar-pra-eu-falar?utm_source=Brasil+247&utm_campaign=e721fe3948-EMAIL_CAMPAIGN_2019_11_06_10_33_COPY_01&utm_medium=email&utm_term=0_d138bc98c5-e721fe3948-26734665