Essa matéria me faz lembrar que em tais manifestações ocorridas em 2013 o MINISTÉRIO PÚBLICO colocou as unhas de fora exibindo em todas as manifestações aquele cartaz de NÃO À PEC-37, PEC que deixaria ainda mais claro quem é quem na persecução penal, pois o MP e seus agentes querem se apropriar da titularidade da INVESTIGAÇÃO POLICIAL, prerrogativa apenas das POLÍCIAS JUDICIÁRIAS, tanto estaduais como federal. Os DELEGADOS DA POLÍCIA FEDERAL perceberam que deixaram os AGENTES do MPF tomarem conta das investigações e somente agora tentam se impor como legítimas e únicas AUTORIDADES POLICIAIS.

O ano de 2013 nos legou sérios problemas e jamais será esquecido por aqueles que pensam por si próprios.

O Editor

 

 

por Luiz Müller

Em 2013 o Brasil vivia um período de economia crescente e tínhamos praticamente o pleno emprego. De repente, a partir de uma reivindicação contra o aumento de passagens, estoura uma mobilização contra tudo, em especial contra o governo que havia construído políticas publicas capazes de fazer o Brasil virar referência mundial e tirar milhões da pobreza. A época, blogs como este aqui e outros, tentaram mostrar uma semelhança entre aquele movimento e o que havia ocorrido durante as tais “revoluções coloridas”, ocorridas no mundo árabe e na Ucrânia e que haviam dissolvido instituições e praticamente destruído nações. Em 2017, com o Brasil naufragando economicamente, com o desemprego em patamares altíssimos, com o poder aquisitivo caindo a olhos vistos e com o símbolo das mobilizações de 2013, a passagens do transporte público tendo seus preços majorados escandalosamente, não há grandes mobilizações, e o que torna mais evidente o caráter das mobilizações de 2013, como identifica Lula, não há cobertura ao vivo, transmissão direta e busca por cinematográficas imagens dos movimentos que acontecem em escala bem menor e sem nenhuma capacidade de contestar o corrupto governo Temer estabelecido pelo golpe de 2016 e respaldado pela continuidade das mobilizações de 2013, coloridas aqui no Brasil com as cores Amarela  verde da também corrupta CBF.  Estudos, pesquisas e artigos tem mostrado que as grandes empresas do Vale do Silício, como Google e Facebook não tem medido esforços para construir uma “nova ordem mundial”, termo usado por Jeorge Soros em Davos e por Zuckelberg  em manifestações públicas que tem feito. O fato de Lula expressar esta posição, parece sinalizar que finalmente a Direção do PT compreendeu que o principal instrumento utilizado para destruir o governo e tentar deslegitimar o PT, é a comunicação, e que para se recompor diante da opinião pública, é preciso pensar a Comunicação como instrumento estratégico da Luta de classes nos dias de hoje. Ainda bem. Antes tarde do que nunca. (Comentário do Blogueiro)

A Seguir, matéria da Folha sobre estas importantes declarações de Lula:

Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou em discurso nesta sexta-feira (11) que foi precipitado considerar como democráticas as manifestações que tomaram o país em junho de 2013.

Condenado em primeira instância a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz Sergio Moro, o petista atacou o magistrado, procuradores da Operação Lava Jato e a imprensa. Disse que vai se candidatar em 2018 e que, caso eleito, fará “a regulação da mídia”.

“A Globo não suspendeu novela nem para transmitir enterro do Roberto Marinho [fundador da emissora]. Naquela passeata, ela suspendeu a grade de novela para transmitir ao vivo uma grade do movimento social, sobretudo contra o governo Dilma”, disse Lula.

“Esse país não foi compreendido desde o que aconteceu em junho de 2013. Nós nos precipitamos ao achar que 2013 foi uma coisa democrática. Que o povo foi para a rua porque estava muito preocupado com aquela coisa do transporte coletivo”, declarou o ex-presidente.

Lula participou do “Ato pela Reconstrução do Estado Democrático de Direito” na Faculdade de Direito da UFRJ, no centro do Rio. Ele estava acompanhado de juristas e petistas críticos ao impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff, que também estava no evento.

“Nós não fizemos, e eu errei, quando não fizemos a regulação da mídia. Eles têm que saber que têm que trabalhar muito para não deixar eu voltar a ser candidato. Se eu for candidato, eu vou ganhar e vou fazer a regulação da mídia. […] Não vou morrer até voltar a governar com vocês este país”, disse o petista.

LAVA JATO

O ex-presidente criticou a condução da Operação Lava Jato. Disse que a Justiça, o Ministério Público e a Polícia Federal submetem suas decisões “ao que a Rede Globo quer que eles façam”.

“A Lava Jato não é um processo judicial. O pessoal que compõe a força-tarefa é um partido político”, afirmou ele.

Lula afirmou que o processo tem como objetivo atacar o que considera conquistas de seu governo, citando o programa Minha Casa, Minha Vida, construção de escolas técnicas e aumento de renda dos mais pobres. O ex-presidente criticou também movimentos estudantis que se manifestaram, o Reuni, programa de expansão das universidades.

“Meninos representantes da elite, travestidos de esquerdista, quebraram reitoria, invadiram e tentaram bater em professor”, disse ele.

“Precisamos outra vez juntar os cacos da esquerda nesse país e voltar a governar”, disse ele.

Ele ironizou o que considera o resultado político da atuação da Lava Jato. “Eles ficam inquietos. Porque tudo o que eles fizeram foi parir um [Jair] Bolsonaro.”

Dilma afirmou em seu discurso que a proposta do voto distrital para o Legislativo é “uma nova etapa do golpe”.

Fonte:   https://luizmuller.com/2017/08/12/lula-diz-que-foi-precipitado-considerar-atos-de-2013-democraticos/