quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Trecho de coluna da Folha com manchete que diz "Advogado acusa amigo de Moro de intervir em acordo"

A defesa do ex-presidente Lula já pediu e insistiu com o juiz Sergio Moro para que ele ouvisse o depoimento do advogado, que trabalhou para a Odebrecht, Rodrigo Tacla Durán. Alega que ele pode trazer novos pontos de vista em relação ao caso, especialmente nas acusações que faz de que a Odebrecht teria mentido em sua delações premiadas, falsificando números, contas e documentos.

Por duas vezes o juiz Moro se recusou, com o argumento de que não se deve dar ouvidos às palavras de pessoa acusada de cometer crimes.

Peralá, isso é o que Moro mais faz. Por exemplo, a condenação de Lula no caso do triplex veio a partir da delação, prestada em depoimento ao juiz Moro, do ex-presidente da OAS Leo Pinheiro, que foi não apenas acusado de crimes como condenado por Moro.

A defesa de Lula aproveitou agora o recente depoimento de Tacla Durán à CPI da JBS, onde o advogado confirmou as acusações anteriores (inclusive ao padrinho de casamento de Moro, que teria pedido 5 milhões de dólares por fora para aliviar a situação de Durán na Lava Jato) e apresentou provas, para pedir pela terceira vez que Moro ouça Durán.

Aliás, o Brasil quer saber por que Moro e os procuradores de deus da Lava Jato não dão um pio sobre as graves acusações de Durán.

Moro vai negar ouvir Durán pela terceira vez? Por quê? O que teme?

Copiado de: