Novo diretor da ExxonMobil é filho da chefe de gabinete da Petrobrás

10 Janeiro Escrito por  Marlla Sabino Lido 168 vezes

Apesar da Petrobrás não ver nada de ilegal ou irregular pelas suas normas de compliance,

por uma questão ética e de pincipios, a Chefe de Gabinete da Presidência da companhia, Sônia Castro Neves, deveria pedir demissão da função.

Qualquer dirigente ou empregado de bom senso não teria dúvidas sobre o assunto, na opinião da AEPET. Abaixo, a reportagem do site Poder 360

O novo diretor de Relações Internacionais Governamentais da ExxonMobil (dona da marca Esso), o cientista político João Augusto de Castro Neves é filho da chefe de gabinete da presidência da Petrobras, Sônia Castro Neves. Apesar da relação de parentesco chamar a atenção do mercado, não há nada de ilegal, segundo explicou a estatal brasileira ao Poder360.

Castro Neves foi contatado para o cargo por uma head hunter, empresa especializada em procurar profissionais do mercado em áreas executivas. O executivo ficará em Washington.

A Petrobras afirmou que a situação está de acordo com suas regras de compliance. A Comissão de Ética da empresa foi comunicada do fato em novembro de 2017. Antes disso, em setembro, a mãe de Castro Neves já havia avisado o presidente da Petrobras, Pedro Parente, sobre o assunto.

Por nota, a ExxonMobil informou, que a contratação foi 1 processo “totalmente separado e sem relação com qualquer anúncio de negócios“. Ainda, que o nome foi escolhido por se tratar de 1 “respeitado analista político da América Latina“.

Acordo entre as gigantes

Em setembro de 2017, a ExxonMobil arrematou, em parceria com a Petrobras, 6 blocos na Bacia de Campos na 14ª rodada de licitações da ANP, em setembro. Ao todo, a Exxon venceu a disputa por 8 blocos. O leilão marcou o retorno da norte-americana à exploração no Brasil, após 5 anos.

As empresas pagaram R$ 2,24 bilhões por 1 único bloco, maior oferta da história em rodadas de licitações do gênero.

Em dezembro, a Petrobras e ExxonMobil assinaram aliança estratégica para identificar e avaliar potenciais oportunidades de negócios. Na ocasião, as empresas informaram que pretendem aumentar investimentos e exploração em toda cadeia de produção de óleo e gás, dentro e fora do país.

Do Brasil a Washignton

Especialista em integração regional e política externa, Castro Neves foi diretor de riscos na América Latina e Brasil da Eurasia Group, que atua fazendo lobby e consultoria. Doutor em ciências políticas pela USP, Castro Neves é co-fundador da CAC Consultoria, empresa que desenvolve serviços de análise e estratégia políticas, com sede em Brasília.

Também foi gerente de projetos do Consulado Geral Britânico no Rio de Janeiro e analista sênior do Ibep(Instituto Brasileiro de Estudos Políticos), conhecida empresa de lobby.

Entre julho 1999 e março de 2000, Castro Neves prestou “serviços técnicos especializados” no gabinete do então senador Sérgio Machado (PSDB-CE) e na Liderança tucana na Casa. Machado depois se filiou ao MDB (antigo PMDB) e virou presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras. Na Lava Jato, fechou delação premiada e admitiu ter integrado 1 esquema de corrupção enquanto comandava a estatal.

Fonte: https://www.poder360.com.br/ economia/novo-diretor-da- exxonmobil-e-filho-da-chefe- de-gabinete-da-petrobras/