Assim volta o movimento altíssimo como todos os problemas que o acompanham. Somos um povo que se comporta como manadas. Quase todos que para cá acorrem vem em busca de sol, muito sol e álcool, muito álcool mesmo. Já saem dos mercados com metade dos carrinhos tomados por embalagens de cervejas que igualmente já saem bebendo.

Por que assim se comportam? Difícil dizer, mas por certo assim procedem para ficarem ‘empatados’ com os demais.

Vem aí o PLANETA DA FUMAÇA que já vem sendo anunciado pelo de$one$ta por que $onegadora RB$ que o faz em seus programas.

Também vem aí outra besteira, essa ainda maior. Falo da CAvalGADA DO MAR.

Um bando de URBANOS montam seus cavalos e com eles correm o litoral do Estado de sul e norte e depois de norte a sul.

Quando se aproximam do povão nos balneários este corre para cima das dunas com suas crias. Ali esmagam tanto os tuco-tuco quando a coruja buraqueira que ali fazem seus ninhos.

Tão logo a cavalgada passa os tolos descem das dunas e então vão com suas crias brincar sobre as areias cobertas de bosta de cavalos e urina. Essa mistura de urina e bosta acaba indo às águas do oceano onde mata a tatuíra, o marisco assim como o CORRUPTO, o nosso e não os de Brasília.

Esses tolos urbanos buscam repetir tropeadas que passavam por nosso litoral, mas essas eram feitas pela denominada Estrada da Laguna, caminho que costeava as lagoas costeiras.

E mais algo importante que esses tolos urbanos que se imaginam fazendeiros de verdade não sabem que os tropeiros de outrora dispensavam os cavalos optando pelas mulas, pois estas melhores de lombo para longas marchas assim como muito mais resistentes do que qualquer cavalo.

E logo ali no final de fevereiro, um espaço de tempo curto tudo volta a ser como era antes. Eles voltam às suas cidades e suas vidas e nós seguimos as nossas por aqui.