Praia de Xangri-Lá

Saiba tudo o que REALMENTE acontece em Xangri-Lá

Page 2 of 4487

Deputado federal Alceu Moreira, ficha suja, quer ser presidente da Câmara dos Deputados

O litoral norte de nosso Estado infelizmente pela sua incapacidade de pensar de modo que é manipulada pela RB$ acabou reelegendo essas figuras que em nada o servem, mas servem sim a interesses próprios assim como desse MDB que tem cheiro forte de quadrilha. Esses dois e mais aquela jovem que muito aparece na TV e trabalhou certamente muito pelo próprio titio que ficou muito mais rico em 2016 comprando SETE grandes Lojas de Mercados na Região Metropolitana sendo dois da Rede Zaffari. Ali por certo o gringo bandido abriu mão de uma fortuna em favor do dito “empresário”. Dias antes da eleição mais uma vez o tal gringo presenteou outra empresa DEVEDORA DE CENTO E TRINTA MILHÕES DE REAIS para ficar ainda mais rica. E assim não há dinheiro para educação, saúde e nem mesmo para o pagamento de salários dos servidores, ativos ou aposentados. Fora com todos esses bandidos.

O Editor

terça-feira, 16 de outubro de 2018

O deputado federal Alceu Moreira, presidente do MDB do Rio Grande do Sul, recém reeleito, pretende se candidatar à presidência da Câmara dos Deputados, na eleição que será realizada no dia 2 de fevereiro. Ele está iniciando conversações com a bancada de seu próprio partido. O atual presidente, Rodrigo Maia, DEM, também quer o cargo. A lista inclui o novato Kim Kataguiri, de apenas 22 anos, coordenador do MBL, que também do DEM. Caso Kataguiri fosse eleito presidente da Câmara, não poderia assumir a Presidência da República nas ausências do Presidente, porque não tem 35 anos de idade, exigência constitucional. Mas, se Alceu Moreira foi eleito, assumirá a Presidência quando for necessário. Será então a consagração de um ficha suja. Ele é inscrito no Cadastro Nacional de Pessoas Condenador por Improbidade Administrativa e Inelegibilidades do Conselho Nacional de Justiça, conforme comprova a certidão acima. Que ele já seja presidente do MDB do Rio Grande do Sul, apesar de ser um ficha suja, só comprova o caráter do partido. Também diz algo sobre parte do eleitorado gaúcho que o reelegeu. Lá no Oeste de Santa Catarina, Luciano Johann está acompanhando a movimentação.

Famoso líder da Ku Klux Klan elogia Bolsonaro: “ele soa como nós”

Redação Pragmatismo

ELEIÇÕES 201816/OCT/2018 ÀS 14:46COMENTÁRIOS

Nome mais famoso da Ku Klux Klan (KKK), conhecido por defender a supremacia branca e negar o Holocausto elogia Bolsonaro: “Ele soa como nós […] Ele é totalmente um descendente europeu”

ku klux klan bolsonaro

Rosto mais conhecido do grupo racista Ku Klux Klan (KKK) nos Estados Unidos, David Duke fez um raro comentário sobre a política brasileira no programa de rádio que comanda.

“Ele soa como nós. E também é um candidato muito forte. É um nacionalista”, disse o ex-líder da KKK sobre Jair Bolsonaro, candidato à presidência pelo PSL.

“Ele é totalmente um descendente europeu. Ele se parece com qualquer homem branco nos EUA, em Portugal, Espanha ou Alemanha e França. E ele está falando sobre o desastre demográfico que existe no Brasil […]”, afirmou Duke, que frequentemente classifica o prêmio Nobel da Paz sul-africano Nelson Mandela como um “terrorista”, em declaração que foi ao ar em um programa de rádio no dia 9.

Os KKK, como se tornaram conhecidos, começaram a atuar em 1865 nos Estados Unidos. Frequentemente usavam capuzes brancos para proteger sua identidade e fazer com que parecessem ainda mais assustadores para suas vítimas.

O grupo, que defende a supremacia branca sobre os negros e judeus, foi responsável ​​por muitas das torturas e linchamentos que ocorreram com os negros no país.

O historiador, conhecido também por negar o Holocausto, se referiu ao brasileiro como “o incrível Bolsonaro”. Na última segunda-feira, Duke compartilhou um vídeo com legendas em inglês em que o capitão reformado discursa “contra a degradação da família” e a “desconstrução da heteronormatividade”.

No ano passado, em palestra no clube judaico Hebraica, no Rio de Janeiro, Bolsonaro fez críticas a negros quilombolas e afirmou que “o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas, não fazem nada, eu acho que nem pra procriador servem mais”. A fala foi aplaudida por parte dos presentes, mas depois recebeu críticas de lideranças judaicas.

Nos anos 1960, antes de se juntar à KKK, David Duke foi membro do extinto “Partido Nazista da América”, depois renomeado para Partido Nacional Socialista das Pessoas Brancas.

A liderança de Duke no Klan começou em 1974 e foi retratada no no filme BlacKkKlansman (“Infiltrado na Klan”, em português), que narra a história de um policial negro que se infiltrou na Ku Klux Klan no Colorado, em 1978, e foi lançado pelo cineasta Spike Lee em agosto. O filme foi o vencedor do Grande Prêmio do Júri do festival de Cannes de 2018.

Autor de teses contestadas, como a que sugere que negros seriam mais violentos e teriam QI inferior aos dos brancos, Duke voltou a ganhar projeção mundial em 2016, quando passou a apoiar a campanha presidencial de Donald Trump.

David Duke

BBC News Brasil

Copiado de:  https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/10/ku-klux-klan-elogia-bolsonaro.html?utm_source=push&utm_medium=social&utm_campaign=artigos

PALAVRAS NO CALOR DA HORA

 
EMANUEL MEDEIROS VIEIRA
EM HOMENAGEM A CELSO MARTINS
.
MIL MEMÓRIAS VIERAM À MINHA CABEÇA.
CONHECI-O QUANDO VOLTEI À ILHA, JANEIRO DE 1972, E LOGO NOS TORNAMOS GRANDES AMIGOS.
Criamos jornais alternativos, boletins, cooperativas, o diabo, na luta contra a ditadura.
FIZ A APRESENTAÇÃO DO SEU PRIMEIRO LIVRO DE POEMAS, EM 1981 INTITULADO  “VIDA DURA”- tocante obra (inventário de uma geração).
E depois, a amizade ficou granítica. ETERNA.
Nem a morte nos separa.
Vai comigo à eternidade.
Celso Martins:
Foi um combatente, um lutador, de associações, DEU VOZ AOS ANÔNIMOS DE SAMBAQUI, DE SANTO ANTÔNIO, DE TODA A REGIÃO, com um carinho imenso pelas figuras “sem nome”, pelas festas de raiz açoriana, o Divino, as farinhadas, fotografando, escrevendo etc.
SEGUIU AS LIÇÕES DE TOLSTÓI: PARA CONHECERES O MUNDO, CONHECE A TUA ALDEIA.
SUA OBRA SOBRE A REPRESSÃO BRUTAL DA OPERAÇÃO  “BARRIGA-VERDE” É FUNDAMENTAL. SEM EXAGERO: JÁ É UM LIVRO CLÁSSICO DO PERÍODO.
Lembro DEMAIS dos combatentes (esqueço nomes- me perdoa)  já “encantados” e lutaram junto com o Celso, contigo, conosco: queridos amigos, como Vera, Rosana, Aristeu, Adolfo, Motta, Jarbas, Galotti, Cirineu, Marcos,  Verzolla e tantos outros, que a memória resiste em lembrar. MAS ESTÃO TODOS NO MEU CORAÇÃO!*
*RELEVA OS MUITOS ERROS DE DIGITAÇÃO E OS OUTROS.
 PELO CÂNCER  (sem vitimismo) estou com dificuldade de escreveder.
CELSO MARTINS, MARGARETH, ANITA: presentes!!!!!
E FAÇO A PERGUNTA FINAL: amigo Celso – O QUE ESTA MORTE FARÁ COM TANTA VIDA?
(BRASÍLIA, 11 DE OUTUBRO DE 2018)

TSE manda Bolsonaro remover vídeos e postagens sobre ‘kit gay’

Livro usado por Bolsonaro para criticar Haddad nunca foi comprado pelo MEC, nem distribuído a nenhuma escola | Foto: Reprodução

Da RBA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou nesta segunda-feira (15) a remoção de vídeos e postagens do candidato Jair Bolsonaro (PSL) em que utiliza a expressão “kit gay” para atacar Fernando Haddad (PT), seu adversário no segundo turno das eleições 2018. A decisão foi tomada pelo ministro Carlos Horbach, atendendo pedido de defesa do petista.

Ao todo, são seis postagens no Youtube e Facebook em que o candidato do PSL usa a expressão para se referir ao livro “Aparelho Sexual e Cia.”, com a alegação que a publicação teria sido distribuída por Haddad, quando ministro da Educação, a crianças menores de seis anos, quando na verdade nunca o livro nunca chegou às escolas. “Quantos votos o deputado Jair Bolsonaro alcançou com suas mentiras?”, comentou Haddad, pelas redes sociais, sobre a decisão.

Horbach entendeu tratar-se de uma ação de “desinformação” por parte de Bolsonaro, e afirmou que a prática causa prejuízo ao debate político. “Os conteúdos vinculados às URLs (…) expressamente vinculam o livro ‘Aparelho Sexual e Cia.’ ao projeto ‘Escola sem Homofobia’ ou aos programas de livros didáticos do Ministério da Educação, o que – como antes destacado – não é corroborado pelas informações oficiais, ensejando, portanto, sua remoção”, diz o ministro na decisão.

Num dos vídeos, Bolsonaro chama o material de “livro do PT”, e de “coletânea de absurdos” que estimularia o interesse precoce das crianças a temas sexuais. O Ministério da Educação reiteradas vezes já afirmou que não adquiriu nem distribuiu o dito livro, desmentindo em definitivo a notícia falsa – fake news –, que continuou a ser espalhada pelo candidato do PSL aos seus seguidores.

Copiado de: https://www.sul21.com.br/ultimas-noticias/politica/2018/10/tse-manda-bolsonaro-remover-videos-e-postagens-sobre-kit-gay/

Turismo no lugar de curso resulta na condenação de ex-Vereadores de São Martinho

Tal comportamento ocorreu várias vezes em Xangri-Lá e que eu lembre em nenhuma delas o MP fez sua obrigação o que penso evidenciar que o MP decide o que fazer sem que tenha um norte definido. De Xangri-Lá Vereadores em passado nem tão distante fizeram TURISMO em Foz do Iguaçu e até mesmo foram sob o mesmo pretexto passear em FERNANDO DE NORONHA. Tal só terminou lá depois de Tarasconi assumiu a Presidência do Legislativo trazendo então os cursos à própria Câmara e com isto conseguiu trocar todos os móveis assim como reformar a Casa Legislativa com os valores economizados.

O Editor

 


(Imagem meramente ilustrativa/Arte: Imprensa TJRS)

Os magistrados da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do RS – regime de exceção ¿ condenaram 7 ex-vereadores do município de São Martinho e um empresário a 4 anos e 6 meses de reclusão em regime inicial semiaberto pelo crime de peculato. Eles foram acusados de apropriação de dinheiro público ao usarem diárias para viagem de turismo com a justificativa de que seria um curso de aperfeiçoamento.

Caso

Os denunciados são Mauri Antônio Luft, Vanderlei Gerlach, Ademar Probst, Arnaldo da Silva, Luis Carlos Fucilini, Sílvio dos Santos Cruz, José Valdir Morsch, Vereadores à época do fato, e o empresário Valmir Odacir da Silva.

Cada um dos então parlamentares recebeu R$ 1.478,40, equivalente a 4 diárias para participarem do curso Aspectos da Lei de Responsabilidade Fiscal e Transição de Mandato, promovido pela empresa VOS Projetos e Treinamentos, de Valmir da Silva, entre 24 e 27 de janeiro de 2006, em Foz do Iguaçu.

Todos foram absolvidos em 1ª instância. O Ministério Público recorreu da decisão ao Tribunal de Justiça sustentando a existência de provas suficientes para a condenação. O MP alegou ter havido o fornecimento indevido de certificados do curso, sem o efetivo controle de frequência dos inscritos, além do desvio de finalidade e conduta dolosa em relação à redução da carga horária, que deveria ser de 6 horas diárias e acabou sendo reduzida para 4 horas diárias.

Acórdão

Em seu voto, o relator do Acórdão, Juiz de Direito convocado Mauro Borba, começou alertando: “O trato da coisa pública exige um redimensionamento ético.”

Ele avançou esclarecendo que é preciso “gestar a coisa pública, através da observância de regras e princípios, guiada pela melhoria de vida da coletividade, que respeite os interesses da comunidade”.

Para o magistrado, um simples exame do folder de divulgação do curso, que anunciava uma única palestra por dia, com um único palestrante por dia, já denunciava a falta de seriedade do curso e a probabilidade de desvio de sua função. “A destinação de um dia inteiro só para inscrições (que não passaram de 40) não se justificava.”

Ele lembrou que o valor das diárias equivalia a mais que o dobro do salário mensal de um Vereador na época.

O magistrado condenou os Vereadores e o empresário a 4 anos e 6 meses de reclusão em regime inicial semiaberto.

Os Desembargadores Rogério Gesta Leal e Sérgio Miguel Achutti Blattes acompanharam o voto do relator.

Proc. nº 70069586493


EXPEDIENTE
Texto: Patrícia Cavalheiro
Assessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arend
imprensa@tj.rs.gov.br

Copiado de:   http://www.tjrs.jus.br/site/imprensa/noticias/?idNoticia=446057

Debate de candidatos ao Governo do Estado na rádio “Gáucha”

 

 

 

Os dois candidatos deixam claro quem são. Eduardo Leite trata Sartori como Governador por que educado, mas ali essa múmia serrana é apenas o outro candidato na disputa. Hoje o Governador é outro.

Sartori parece ser o MUSSOLINI dos pampas. Quer mandar em tudo e em todos e assim se comporta nesse debate. Não suporto mais essa anta serrana e espero dele livrar-me nessa eleição. A campanha desse gringo é um amontoado de MENTIRAS.

Diz ter feito a duplicação da RS-118 o que é uma MENTIRA, pois Tarso fez parte expressiva dessa obra e obviamente não a concluiu por que obra para BEM MAIS DE QUATRO ANOS.

Diz que recuperou as rodovias do Estado e os que aqui vivem sabem ser esta mais uma GRANDE MENTIRA dele. As rodovias aqui no litoral dizem bem quão mentiroso é esse atual DESGOVERNO.

Diz ter criado DELEGACIAS DE POLÍCIA  para combater o abigeato. Não disse que o abigeato cresceu de forma assustadora por que não há POLICIAMENTO PREVENTIVO/OSTENSIVO e havia na região das Missões uma quadrilha que subtraia gado lá e o transportava por rodovia até a região serrana em nosso Estado, para São Francisco de Paula.

Tem deitado falação dizendo que comprou armas e veículos ao policiamento, mas omite que sua guarda estadual não mais trabalha. Tal foi registrado aqui no blog sobre nossa ida no feriadão até Xangri-Lá.

Ainda ontem, ao final da tarde conversando com um operário que constrói casa quase em frente a nossa soube que a mesma havia sido arrombada na madrugada anterior e de lá subtraído material de construção e ferramentas, fato que levou ontem o proprietário a mandar instalar ALARME ELETRÔNICO ou certamente sua casa não iria ser concluída NUNCA. Aqui furtam fios da rede da CEEE todas as semanas e faz poucos dias que a POLÍCIA JUDICIÁRIA que não tem mais o MINIMO EFETIVO necessário já não mais dá conta de investigar tudo, realizou apreensão de expressivo volume de fios de cobre na posse de receptadores.

Chega gringo de tanta mentira. Vai pra casa e deixa que o povo desse Estado viva com tranqüilidade. Teu desgoverno nos toma expressivos valores na forma de tributos em mercadorias como energia elétrica enquanto vai abrindo mão de expressivos valores devidos por ricos empresários, os quais ficam ainda mais ricos enquanto há faltam recursos humanos especialmente na POLÍCIA JUDICIÁRIA o que observo em nossas Delegacias de Polícia aqui na região.

 

Grande maioria dos deputados entreguistas não é reeleita

Grande maioria dos deputados entreguistas não é reeleita

15 Outubro Lido 447 vezes

Mais de 60% dos deputados da lista dos entreguistas da AEPET perdem o mandato

 

Antes da eleição para a Câmara dos Deputados, a AEPET publicou um levantamento que apontava o nome dos parlamentares que votaram a favor do projeto de lei que tirou a Petrobrás como operadora única do pré-sal e aqueles que votaram a favor de permitir a venda de até 70% das reservas de petróleo da cessão onerosa.

Com a apuração dos votos, verificamos que dos 292 deputados que votaram por tirar a Petrobrás como operadora única, 196 não conseguiram a reeleição (67,13%). O senador Romero Juca (MDB – RR), autor da emenda que foi aprovada, também não se reelegeu.

Já aqueles que votaram pela entrega da cessão onerosa, num total de 217, 142 não foram reeleitos para novo mandato (65,44%). Dado interessante é que o autor do projeto de lei, José Carlos Aleluia (DEM- BA) não foi reeleito.

Vale ressaltar também que o candidato à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) votou a favor dos dois projetos.

Copiado de:  http://aepet.org.br/w3/index.php/conteudo-geral/item/2305-grande-maioria-dos-deputados-entreguistas-nao-e-reeleita

NOTA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

 

Em relação à notícia veiculada nesta data sobre ameaças a magistrado da Vara do Júri da Capital, a Administração do Tribunal de Justiça informa que já de algum tempo tinha ciência dos fatos e acompanhava atentamente a situação.

Desde o primeiro momento, de forma discreta e sigilosa, no intuito de preservar a integridade do Juiz, disponibilizou de imediato segurança integral para ele e seus familiares, além de providenciar seu reposicionamento na jurisdição.

Ainda, importante salientar que o Tribunal de Justiça conta com eficazes dispositivos de segurança em suas dependências para preservar magistrados, o que inclui a Vara do Júri da Capital; isso inclui portais, segurança reforçada e outras providências que são mantidas em sigilo, além de novas instalações, recentemente inauguradas e projetadas especialmente para o plenário do Júri.


EXPEDIENTE
Assessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arend
imprensa@tj.rs.gov.br

Copiado de:  http://www.tjrs.jus.br/site/imprensa/noticias/?idNoticia=445837

Condenados 16 integrantes de quadrilha especializada em roubo de carga

Publicado em 15 de Outubro de 2018 às 10h05

TJRS –

A Justiça condenou pelo crime de organização criminosa 16 pessoas ligadas a quadrilha especializada em roubo e posterior venda de carga, que atuava especialmente no trecho entre Triunfo e Montenegro da BR-386. A sentença, proferida pela Juíza de Direito Solange Moraes, da Vara Judicial da Comarca de Triunfo, estabelece penas que variam de 12 a 08 anos de reclusão em regime fechado. Outros três acusados foram inocentados. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público.

Os condenados permanecerão presos, condição em que responderam ao processo, instaurado a partir dos resultados da Operação Versa, da Polícia Civil, em 2016. Por exercerem a liderança do bando, dois homens tiveram suas penas agravadas: Jair Borges da Silva foi sentenciado a 12 anos e três meses, e Gilmar dos Santos Silva, a 09 anos, 07 meses e 15 dias.

Diego Machado da Silveira Oliveira, Edilson Bueno Pasturiza e Fernando da Fonseca Vasquez foram condenados a nove anos de reclusão; já Alessandro Freitas da Silva, Christian Silva Rodrigues Júnior, Cleiton Bugalho, Diego Vinícius Silveira, Geovane Romário Dick, Lenon Henrique Garcia, Maique Sechous Beil, Márcio Raupp dos Santos, Raheid Paulo Seira Hassan, Rogério Ferreira Réus e Vinícius Sensato Tormem tiveram pena fixada em 08 anos e 03 meses de reclusão.

Organização criminosa

A conclusão da magistrada, exposta na sentença de quase 120 páginas, é de que a quadrilha praticava os assaltos se valendo de armas de fogo e possuía um esquema bem estruturado para esconder o material roubado e recolocá-lo no mercado através de empresas de fachada usadas no despiste da polícia e em fraudes fiscais.

Praticavam roubos em rodovias gaúchas, armazenavam e movimentavam as cargas em depósitos alugados para esse fim e, por fim, recolocava-as no mercado, comercializando-as por intermédio de empresas araras, tudo sendo controlado, anotado e documentado, ainda que informalmente, detalhou a Juíza Solange Moraes.

O modo de agir nos assaltos está comprovado por diversos registros de ocorrência, com todas as vítimas apontando o emprego de armas pelos assaltantes, observou ela. Cabe recurso da decisão.

Processo 21600008046 (Comarca de Triunfo)

Fonte: Tribunal de Justiça do Estado de Rio Grande do Sul

Copiado de:  http://www.sintese.com/noticia_integra_new.asp?id=437243

Prefeito de Maratá e Secretário condenados pelos crimes de responsabilidade e prevaricação

 


(Imagem meramente ilustrativa. Arte: Imprensa/TJRS)

Os Desembargadores da 4ª Câmara Criminal do TJRS condenaram o Prefeito Municipal de Maratá, Fernando Schrammel, e o Secretário Municipal da Agricultura, Élson Wadenphul, a 4 anos e 8 meses de reclusão em regime semiaberto. Eles também perderam os cargos e não podem concorrer ou ocupar cargos públicos durante 5 anos. A condenação ainda obriga os réus a devolverem aos cofres públicos o valor de R$ 5.024,80.

Ambos foram acusados por utilização indevida, em proveito próprio ou alheio, de bens e serviços públicos. E também por deixar de praticar atos de ofício, para satisfazer interesse pessoal.

Caso

O Ministério Público (MP) denunciou o Prefeito e o Secretário de usarem máquinas, veículos e servidores municipais para a demolição de um prédio que pertence ao Prefeito, sem licença para tal finalidade. Segundo a denúncia, os acusados também usaram os equipamentos e os funcionários públicos para o rebaixamento e o emparelhamento do terreno onde mora o Prefeito Fernando Schrammel.

O MP pediu a condenação do Prefeito por prevaricação, pois ele teria usado de sua influência política e da autoridade sobre os servidores, não apenas para fomentar a execução de melhorias em suas propriedades privadas, mas também para embaraçar e evitar atividades de fiscalização e a penalização administrativa, além da tributação incidente sobre seus atos.

A defesa do Prefeito alegou que os serviços estavam autorizados por uma lei municipal que permite a utilização de bens e serviços em propriedade particular. O Secretário se defendeu dizendo que apenas cumpriu ordens do Prefeito, que não afrontou a legalidade administrativa de qualquer forma, quanto mais no plano criminal. Ambos argumentaram ser essa uma prática corriqueira em pequenos municípios e que qualquer morador tem este direito, previsto por esta legislação municipal, desde que previamente requerido pelos meios administrativos.

Acórdão

O relator do Acórdão, Desembargador Rogério Gesta Leal, afirmou que “foram usados dinheiro, materiais, máquinas e servidores públicos para uso indevido de seus cargos públicos para o êxito das condutas criminosas”.

Em seu voto, o magistrado ressaltou que os acusados não agiram de acordo com a lei que regula a matéria. E detalhou que a lei que estabelece regras para a realização de trabalhos com equipamentos rodoviários do município a particulares, sem pagamento de taxas à administração, tem como objetivo a implantação de indústrias, comércio e construções novas e reformas, e precisam de aprovação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas. “Ou seja, requer o cumprimento de atos formais para que se verifique a necessidade e possibilidade da utilização de maquinários públicos em obras particulares.”

Ele ainda salientou que não há prova de que o imóvel será destinado ao comércio.

A decisão ainda esclarece que o Prefeito deixou de praticar atos de ofício, para satisfazer seu interesse pessoal, evitando a fiscalização e embargo de obras empreendidas irregularmente em terrenos de sua propriedade, e também para escapar do pagamento dos tributos. Segundo o magistrado, seria responsabilidade do Prefeito providenciar os alvarás de licença de construção. Como isso não ocorreu, não cumpriu as diretrizes do plano diretor do município, evitando a aplicação das penalidades nele previstas, assim como o recolhimento da taxa de licença para execução de obras.

Por fim, o Prefeito Fernando Schrammel foi condenado a 4 anos e 8 meses de reclusão e 6 meses de detenção em regime semiaberto. O Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Elson Wadenphul, foi condenado a 4 anos e 8 meses de reclusão em regime semiaberto. Os dois também foram condenados à perda perda do cargo e à inabilitação para o exercício do cargo ou função pública por cinco anos. Ambos terão que ressarcir a prefeitura em R$ 5.024,80.

Os Desembargadores Aristides Pedroso de Albuquerque Neto e Newton Brasil de Leão votaram de acordo com o relator.

Proc. nº 70069884138


EXPEDIENTE
Texto: Patrícia Cavalheiro
Assessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arend
imprensa@tj.rs.gov.br

Copiado de:  http://www.tjrs.jus.br/site/imprensa/noticias/?idNoticia=446059

Page 2 of 4487

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén