Hoje foi um dia do agrado de todos, creio. Pela manhã radiação solar forte com intenso e insuportável calor. Vi passarem aqui na frente de nossa modesta morada muitos em grupos rumando ao mar. Carregavam caixas, sacolas, cadeiras e mesas e andavam sob enormes guarda sóis.

Esses quando chegam à beira mar deitam sob o sol escaldante para ficarem pretos ou bronzeados como costumam dizer.

Pouco tempo depois retornam carregando toda aquela tralha. Gosto não se discute, penso.

Pouco depois do meio dia o sol começou a ser encoberto e no meio da tarde veio uma chuva forte e rápida acompanhada de algumas pedras de gelo e igualmente muitas descargas elétricas, os tão temidos raios.

Acabo de retornar do jardim onde distribui alguns quilos de milho quebrado aos meus amigos pássaros que nos visitam todos os dias do ano e a quem sinto satisfação em oferecer o alimento, pois em todos os dias ano, faça chuva ou sol eles sempre aqui chegam para nos alegrar com seu canto.

Tenho estranhado, confesso que os nossos amigos, os pica-paus não mais tem vindo. Espero que esses poucos que aqui compareciam não tenham sido mortos por algum dos muitos idiotas que vivem nesse mundo.