220
ações
Templo de Salomão
foi construído em
terreno contaminado

A sede da Igreja Universal deve à Prefeitura de São Paulo R$ 100 milhões em duas multas ambientais.

O portentoso Templo do Salomão foi construído em um terreno potencialmente contaminado, no bairro do Brás [mapa]

Com o propósito de driblar a fiscalização, a igreja usou alvará de reforma para construir o prédio, que foi inaugurado em 2014. Começou a ser construído em agosto de 2010, quando o prefeito de São Paulo era Gilberto Kassab.


Parte das terras removidas do local para a construção teria sido jogada clandestinamente no campus da USP Leste.

Embora o volume dessas terras contaminadas possa ter sido de 109 mil metros cúbicos, o que equivale a 6.000 caminhões, até hoje não há oficialmente uma conclusão para o caso.

A atual administração municipal, de João Dória (PSDB), acusa o prefeito anterior, Fernanda Haddad (PT), de ter sido omisso na cobrança das multas, que já se encontram inscritas na Dívida Ativa do Município.

A Universal diz que não pagou as multas porque elas “são completamente equivocadas”, a ponto de “atribuir ao templo imóvel em outro endereço”.

Com informações de O Estado de S.Paulo e de outras fontes e foto de divulgação.

Copiado:  https://www.paulopes.com.br/2018/03/sede-da-igreja-universal-deve-cem-milhoes-em-multas-ambientais.html#.WqfdEWrwaM8