Share to WhatsAppShare to LinkedIn

Os dados do Planalto sobre os presentes recebidos por Jair Bolsonaro em seu primeiro ano no Palácio do Planalto mostram que catorze ministros e secretários do governo presentearam o chefe durante 2019.

Augusto Heleno deu a Bolsonaro quatro mimos e uma camisa do Palmeiras.

Onyx Lorenzoni, da Casa Civil, deu uma gravata.

Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral, apareceu com uma escultura.

Luiz Eduardo Ramos levou um quadro.

Fora do Planalto, Sergio Moro, da Justiça, deu um livro — mesmo presente escolhido pelos ministros do Turismo e Transparência.

Fernando Azevedo, da Defesa, deu uma mochila e uma gravata.

O advogado-geral da União terrivelmente evangélico, André Mendonça, também deu gravata.

O ministro astronauta Marcos Pontes encheu a mesa do presidente: caneta, camiseta, bloco de notas, caderno…

Entre os secretários, o chefe da Secom, Fabio Wajngarten, deu uma garibada no guarda-roupas de Bolsonaro: cinco camisas polo, quatro camisas sociais e uma camisa do Grêmio.

Nabhan Garcia, secretário de Assuntos Fundiários, deu um par de botinas.

Ninguém superou, porém, o secretário da Pesca, Jorge Seif, que levou ao Planalto onze itens, entre bonés, broches, agendas… Veja

O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.