Há coisas realmente estranhas na vida. Exemplo são esses ricos que se jogam na vida pública. Por certo são demasiado generosos assim como tem muito amor aos munícipes. E não somente estes, pois aquele vagabundo, hoje deputado federal que ao final de cada mês embolsa cerca de QUARENTA MIL REAIS para apenas TRÊS DIAS DE TRABALHO semanais e que irá ganhar certamente a metade para trabalhar SETE DIAS por semana.  Esse enrolou o eleitorado de minha cidade natal e prometeu o que não fará, pois mentiu e mentiu muito. Agora já mudou o discurso. O povo é burro em confiar em quem ataca ao Poder Judiciário assim como aos servidores públicos. O que mais me deixe triste é que o tempo dirá que estou muito certo.

O Editor

 

 

 

João Doria (PSDB), que venceu no primeiro turno na capital paulista, está em terceiro lugar no ranking. (Foto: Reprodução)João Doria (PSDB), que venceu no primeiro turno na capital paulista, está em terceiro lugar no ranking. (Foto: Reprodução)

Entre os mais de 5,5 mil prefeitos eleitos nas eleições municipais deste ano há 1,1 mil milionários. Ou seja, um em cada cinco eleitos para comandar as prefeituras a partir de 2017 declara possuir patrimônio superior a R$ 1 milhão.

O mais rico é Vittorio Medioli (PHS), que irá comandar a cidade de Betim (MG). Em seguida, aparece Antidio Lunelli (PMDB), futuro prefeito de Jaraguá do Sul (SC). Em terceiro lugar está João Doria (PSDB), que venceu no primeiro turno na capital paulista.

Do total, 54 declaram possuir patrimônio superior a R$ 10 milhões e, destes, 29 dizem possuir mais de R$ 20 milhões. A maioria está em Minas Gerais, estado que tem 161 prefeitos milionários eleitos. Em seguida, aparecem São Paulo, com 137, Rio Grande do Sul, com 85, Paraná, com 83, Bahia, com 80, Goiás, com 74, e Mato Grosso, com 62.

Das 26 capitais brasileiras, 11 serão governadas por milionários. São elas: Belém (Zenaldo Coutinho, do PSDB); Belo Horizonte (Kalil, do PHS); Campo Grande (Arnaldo Higino Lessa, do PRB); Cuiabá (Emanuel Pinheiro, do PMDB); Goiânia (Iris Rezende, PMDB); João Pessoa (Luciano Cartaxo, do PSD); Natal (Carlos Eduardo Nunes Alves, do PDT); Palmas (Carlos Enrique Franco Amastha, do PSB); Porto Velho (Dr. Hilfon, do PSDB); Salvador (ACM Neto, do DEM); e São Paulo (João Dória, do PSDB).

Entre os partidos, os que mais conseguiram elegerer prefeitos milionários foram PSDB (206), PMDB (205), PSD (107), PP (81), PSB (79), PDT (66), PR (60), DEM (53), PTB (49), PT (32) e PV (29).

VEJA OS 11 PREFEITOS MILIONÁRIOS DAS CAPITAIS E O PATRIMÔNIO DELES (em R$):

Belém – Zenaldo Coutinho (PSDB) 1.249.574,51
Belo Horizonte – Kalil (PHS) 2.787.609,13
Campo Grande – Marquinhos Trad (PSD) 1.400.126,51
Cuiabá – Emanuel Pinheiro (PMDB) 1.357.151,46
Goiânia – Iris Rezende (PMDB) 17.871.579,12
João Pessoa – Luciano (PSD) 1.131.560,69
Natal – Carlos Eduardo (PDT) 1.994.985,41
Palmas – Carlos Amastha (PSB) 21.093.095,53
Porto Velho – Dr. Hildon (PSDB) 11.261.219,90
Salvador – ACM Neto (DEM) 27.886.721,62
São Paulo – João Doria (PSDB) 179.765.700,69

(AG)

Fonte:  http://www.osul.com.br/um-em-cada-cinco-prefeitos-eleitos-e-milionario/