14 de janeiro de 2020, 16h37

Armamento de Ronnie Lessa, o vizinho do presidente envolvido no assassinato de Marielle, ajudou a PM do Rio a superar número de anos anteriores

Bolsonaro e Ronaldo Lessa, que atirou em Marielle Franco (Reprodução)

Os 117 fuzis M-16 do PM reformado Ronnie Lessa, vizinho do presidente Jair Bolsonaro no Condomínio Vivendas da Barra, ajudaram a Polícia Militar do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, a bater recorde na apreensão de fuzis em 2019. Lessa, que é acusado de ter efetuado os disparos que assassinaram a vereadora Marielle Franco, é investigado por comércio ilegal de armas.

Segundo informações da PM, foram 505 fuzis apreendidos no estado apenas em 2019 – colocando o ano na ponta do ranking de maiores apreensões. No ano de 2017, que ocupava até então a primeira posição, foram 382 apreensões. Sem os fuzis de Lessa, a conta ficaria mais apertada.

A apreensão dos armamentos do ex-PM foi a maior da história do Rio e aconteceu na casa do policial civil Alexandre Mota de Souza, o amigo de Ronnie Lessa que guardou o arsenal. As armas eram novas e estavam desmontadas em caixas dentro de um guarda-roupas. Souza foi absolvido no caso.

Em interrogatório, Lessa chegou a reconhecer que era o proprietário das armas. No entanto, tentou se defender, afirmando que parte do material seria comercializada com colecionadores e que outra parte era de airsoft, mas uma demonstração feita pela polícia mostrou o poder de destruição dessas armas.

Copiado de:  https://revistaforum.com.br/brasil/witzel-inclui-fuzis-de-vizinho-de-bolsonaro-na-conta-e-rj-bate-recorde-na-apreensao-da-armas/